BNDigital

Biblioteca Virtual da Cartografia Histórica: do século XVI ao XVIII

< Voltar para Dossiês

Projeto

Projeto Biblioteca Virtual da Cartografia Histórica dos séculos XVI a XVIII

O convênio entre a Biblioteca Nacional e a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) foi estabelecido em dezembro de 2000, tendo como Coordenadora a Diretora do Centro de Processos Técnicos da Biblioteca Nacional Dra. Celia Zaher.

Objetivo Geral do Projeto

O Objetivo geral do projeto foi criação, manutenção e disponibilização de uma Biblioteca Virtual de mapas raros, manuscritos, gravados ou impressos, do século XVI ao século XVIII, existentes na coleção da Biblioteca Nacional, organizados sistematicamente em base de dados cartográficos. Estes arquivos digitais disponibilizados através de acesso remoto pela Internet em website específico hospedado pela Biblioteca Nacional, oferecem à comunidade científica nacional e internacional informações únicas disponíveis tanto para consulta como para cópia com resolução adequada, contribuindo ao mesmo tempo para a preservação dos originais à medida que minimiza o manuseio e o desgaste resultante

Objetivos Específicos do Projeto

* preservação de acervo precioso através da higienização e restauração das peças a serem digitalizadas e da diminuição do acesso aos originais

* elaboração de padrões de captura, identificação e tratamento de arquivos digitais, afim de que passem a ser adotados pelas bibliotecas brasileiras

* criação de bases de dados cartográficos, através do tratamento retrospectivo de registros bibliográficos em fichas manuais

* estabelecimento de informações sobre material microfilmado associadas ao registro da peça na base de dados

* criação de arquivos digitais que serão usados no lugar dos originais contribuindo para a preservação dos mesmos e permitindo a ampliação do acesso de forma múltipla

* criação de uma Biblioteca Virtual de mapas dos séculos XVI ao XVIII

* Detalhamento das Etapas Executadas de acordo com Cadeia de Digitalização

Detalhamento das Etapas Executadas de acordo com Cadeia de Digitalização



1. etapa - Montagem laboratório de Digitalização

* Seleção de equipamentos para captura, tratamento e armazenagem de arquivos digitais como previsto no projeto adaptado aos recursos reduzidos. As modificações foram autorizadas pelos técnicos responsáveis da FINEP.

* Compra de equipamentos. Foram adquiridos: 1 scanner Power Phase, de alta resolução, especial para materiais de grande formato; 3 computadores Macintosh; 1 impressora Plotter.

* Instalação de sub rede Macintosh, com recursos da Biblioteca Nacional, isolada da rede central para maior segurança e velocidade.

* Treinamento da equipe no uso dos equipamentos através de cursos, estágios e visitas técnicas.

scanner Power Phase


impressora Plotter


rede Macintosh


2. etapa - Estabelecimento de política de seleção

* Constituição do grupo de seleção com especialistas da informação e historiadores para estabelecer critérios de seleção e priorizar as coleções a serem tratadas e digitalizadas sob a coordenação dos responsáveis na Biblioteca Nacional pela coleção de mapas.

3. etapa – Higienização, restauração e armazenagem dos mapas

* Seleção do material a ser higienizado e/ou restaurado, efetuando a higienização e restauração e posteriormente, enviando para digitalização e microfilmagem.

* Diagnóstico do estado das peças selecionadas, seguido da restauração das mesmas. Tratamento de acordo com seu estado físico, com vistas a alcançar um estado ideal, seja por higienização, obturação ou restauração convencional.

* Preparação da cartonagem para a guarda dos mapas e/ou laminação dos mapas. O processo de limpeza e restauro dos materiais obedeceu ao fluxo aprovado dando prioridade aos materiais já catalogados. Foram higienizados e conservados 1.145 mapas, restaurados 75 e encapsulados em envelopes de acetato 495 mapas. O processo de restauração é lento tendo sido feito com bastante esmero. O material já preparado foi armazenado em pastas.

mapa sendo encapsulado


mapa já encapsulado


4. etapa – Identificação, catalogação e classificação dos mapas - criação bases de dados cartográficos

* Foram contratados bibliotecários e historiadores para a identificação e catalogação do material selecionado e posterior entrada dos dados catalográficos em base de dados específica.

* Criação de base de dados dentro dos padrões internacionalmente adotados para exportação e importação de dados.

* Foi utilizado para as bases de dados o software brasileiro OrtoDocs já em uso na Biblioteca Nacional desde 1996. É um software totalmente baseado na web o que permite uma atualização dos dados em tempo real. Trata os diversos tipos de materiais suportando o Formato MARC completo.

* Elaboração de script para entrada de dados de acordo com o formato MARC21.

* Foram identificados, catalogados, classificados e incluídos em base de dados 5.000 mapas.

script para entrada de dados base


exemplo de registro de mapa


* Elaboração por historiadores contratados pelo projeto de resumos exaustivos dos mapas de maior importância e valor histórico. Foram elaborados 158 resumos de mapas.

exemplo de resumo


* A digitação do fichário manual de 20.000 fichas prevista não foi finalizada, pois os dados registrados não eram confiáveis e optou-se pela atualização e catalogação completa destes registros o que demandou mais tempo diminuindo a produção.

5. etapa - Microfilmagem

* Foram microfilmados os documentos que além de arquivo digital deveriam possuir também arquivo de microfilme. Isso se aplica aos documentos de alta demanda e em preto e branco, para fins de conservação de longa duração e consulta de usuários.

* O grupo de documentos microfilmados foi de pequeno porte se restringindo aos atlas encadernados em volumes para facilitar a consulta individual. O material de consumo para esta etapa e pessoal teve recursos financeiros diminuídos no projeto final.

6. etapa – Digitalização do material

* Digitalização do material já preparado e catalogado.

* Foram estabelecidas normas para captura dos arquivos digitais baseados nos padrões adotados pelas grandes bibliotecas digitais do exterior, referentes à resolução (300 dpi), escala de cores, tamanho e tipo de arquivo (.tiff).

* Foram alcançadas as metas previstas de 1.500 mapas digitalizados.

7. etapa - Controle de qualidade, tratamento e armazenagem

* O controle de qualidade foi feito imediatamente após a captura através de comparação com o original.

* O tratamento do arquivo digital objetiva a apresentação do documento por inteiro. Para isto foi feito um corte a ¼ de polegada da margem do documento, garantindo aos pesquisadores, que utilizam os documentos digitais a segurança de que o original tenha sido capturado na íntegra.

* Elaboração arquivos de back up para armazenagem com sistema de registro em base de dados de imagens.

exemplo corte imagem


8. etapa - Compactação dos arquivos

* Os arquivos foram compactados utilizando o software Mr.SID (Multi-Resolution Seamless Image Database), baseado em wavelet. Este software integra múltiplas resoluções de uma imagem em um único arquivo permitindo aos usuários com um browser padrão fazer zoom , obtendo assim mais e mais detalhes. Embora MrSID seja um lossy compressor, as imagens podem ser comprimidas em uma escala de até 22:1 sem qualquer perda da informação.

* Foi desenvolvida programação especial para agrupar as diversas páginas de documentos multipartes, como por exemplo os Atlas.

* O website permitirá aos usuários a visualização das imagens tanto através de arquivos «.sid » como através de arquivos «.jpg ».

mapa


detalhe do mapa


9. etapa - Catalogação e classificação dos arquivos digitais - criação de base de dados de metadados

* Criação de base de dados para os metadados dos arquivos digitais, utilizando implementação do software OrtoDocs, especialmente desenvolvida para suportar a catalogação dos diversos tipos de metadados dos arquivos digitais.

* Elaboração de script para entrada de metadados de acordo com padrões adotados internacionalmente contemplando informações para a descrição, acesso, estrutura e preservação dos arquivos digitais.

* Estabelecimento de links entre os registros de metadados e os arquivos digitais.

* Foram alcançadas as metas previstas com a catalogação e classificação de 1500 imagens digitais.

script para entrada de metadados


exemplo de registro de metadados


10. etapa - Preparação do Website

* Foi contratada a empresa MIDIARTE para criar a identidade visual do website do projeto. A apresentação das informações contidas nas bases de dados também seguiu a mesma identidade visual programada.

* Foi criada uma galeria de mapas com a finalidade de permitir uma navegação mais rápida com acesso direto às imagens, sem passar pelas informações contidas nas bases de dados.

página inicial do website


exemplo de galeria de mapas


Outras Atividades Executadas

Além das etapas e atividades previstas foram efetuadas outras não previstas mas que se mostraram necessárias no decorrer da execução do projeto tais como:

* Ampliação do projeto para documentos do século XIX.

* Elaboração de um vocabulário controlado bilíngüe dos termos cartográficos e históricos utilizados como pontos de acesso de assuntos.

* Implementação de facilidades existentes no software OrtoDocs que permitem a exportação de dados em formato de citação bibliográfica de acordo com norma Associação Brasileira de Normas Técnicas [ABNT] para uso dos pesquisadores, e também a exportação de dados em formato ISO2709, ANSI Z39.2 e em linguagem XML para integração e exportação com outros sistemas de informação.

tipos de exportação possíveis


exemplo de exportação em XML

Parceiros