BNDigital

Pernambuco 1817 – A Revolução

< Voltar para Exposições virtuais

Antecedentes

 

1796


Fundação em Pernambuco da Sociedade Secreta Areópago de Itambé. Difusão das ideias iluministas e da Revolução Francesa. Participação de Manuel Arruda Câmara, homem de saber e cultura responsável pela difusão das ideias libertárias, contra a repressão colonial, a favor da emancipação do Brasil. O padre João Ribeiro foi seu discípulo.


1800


Fundação do Seminário de Olinda pelo bispo José Joaquim de Cunha Azeredo Coutinho. Renovação intelectual pelas doutrinas cartesianas. Padres e alunos adeptos das discussões políticas e filosóficas do Areópago. Participação ativa do padre Miguel Joaquim de Almeida Castro, o padre Miguelinho.


1801


Conspiração dos Suassunas, ocorrida no plano das ideias contra o domínio português, com objetivo de constituir em Pernambuco uma república sob a proteção de Napoleão Bonaparte. Participação dos membros do Areópago e do seminário de Olinda, com a liderança dos irmãos Francisco de Paula Cavalcanti e José Francisco de Paula Cavalcanti, proprietários do engenho Suassuna, homens de relevo econômico e social. Germe preparatório da Revolução de 1817. 21 MAIO . Delação da conspiração. Instauração do processo de devassa. Prisão dos irmãos Cavalcanti. Absolvição dos envolvidos por falta de provas.


1802


Fechamento da Sociedade Secreta Areópago.


1804


24 MAIO . Início do governo de Caetano Pinto de Miranda Montenegro, homem letrado, formado em Coimbra. Um ano depois indicado para Angola, a Câmara de Recife exige sua permanência em Pernambuco.


1806


Fechamento das lojas Maçônicas pelo conde dos Arcos.


1808


Transferência da corte portuguesa para o Rio de Janeiro. Aumento dos impostos. Piora da situação econômica. Reabertura da Grande Oriente Maçônico por interveniência de Rodrigo de Sousa Coutinho. Defesa da monarquia constitucional.


1808


7 SETEMBRO . Chega ao Recife Henry Koster, viajante e cronista de descendência inglesa.


1813


Reativação da maçonaria em Pernambuco por Domingos José Martins, fora do controle do grande oriente lusitano, com impulso de Londres. Exclusão de portugueses. Projeto emancipacionista. Conquista do clero secular e da oficialidade, defesa da república.


1814


Chegada à capitania de Pernambuco de Domingos José Martins, advindo da Inglaterra. Homem de ação e articulador da elite ilustrada da capitania. Planos de emancipação política e de fundação de uma república.


1815


Elevação do Brasil a Reino Unido de Portugal e Algarves. Fim do Bloqueio Continental imposto por Napoleão.


1816


Primeira edição do livro Travels in Brazil, de Henry Koster. Intensa seca no sertão. Queda da produção do algodão e do açúcar, pilares da economia da capitania de Pernambuco. Sobrecarga de impostos. Escassez de comestíveis. Indisciplina da tropa. Campo favorável à expansão das ideias iluministas do Areópago propagadas pelo Seminário de Olinda.