BNDigital

Pernambuco 1817 – A Revolução

< Voltar para Exposições virtuais

Introdução

PERNAMBUCO 1817 - A REVOLUÇÃO


No início do século XIX, a capitania de Pernambuco foi o centro de propagação da filosofia da Ilustração e da experiência da Independência Norte-Americana. As idéias liberais da Revolução Francesa vicejavam no solo fértil dos conventos e das sociedades secretas, que contestavam os pesados impostos infringidos pela Coroa, instalada no Rio de Janeiro, à produção do açúcar e do algodão, principais pilares da economia da província.


Mais do que uma revolta anticolonial, a Revolução Pernambucana de 1817, ainda que dividida internamente, implantou o regime republicano, defendeu os direitos do homem, o livre exercício da liberdade de imprensa, o catolicismo e a liberdade de religiões e a emancipação gradual do trabalho escravo. Inspirados na Constituição Termidoriana da Revolução Francesa e na Constituição Americana, os insurretos de 1817 lograram produzir o primeiro esboço constitucional redigido por brasileiros.


No dizer de Oliveira Lima, a Revolução de 1817 foi "a mais espontânea, a menos desorganizada e a mais simpática de nossas numerosas revoluções". A experiência inédita de autogoverno em Pernambuco, que durou 75 dias, deixou um legado singular para a história do Brasil, como uma alternativa ao projeto de construção de um império unitário imposto pelos Braganças.


Reprimida com rigor, seus líderes foram conde-nados e executados por crime de lesa-majestade. Os sacrifícios dos mártires da Revolução de 1817 não dissiparam, porém, o ardor revolucionário da província. O chamado Maligno Vapor Pernambucano voltou a se manifestar em sucessivas revoltas de cunho libertário.


Embora bem estudada pelos grandes historiadores, a Revolução de 1817 é pouco conhecida pela maioria dos brasileiros que aprenderam a identificar em Tiradentes a figura do herói anticolonial. Na passagem dos duzentos anos da instalação do governo revolucionário de Pernambuco, a Biblioteca Nacional, depositária de uma importante coleção de livros, mapas, manuscritos e documentos iconográficos referentes ao tema, organiza a presente exposição com o objetivo de evocar e dar a conhecer às novas gerações a história desse movimento que é considerado o berço da democracia brasileira.


Maria Eduarda Castro Magalhães Marques


Diretora do Centro de Difusão e Cooperação da Biblioteca Nacional


Curadora


1817 em 200 Segundos - Capa

Vídeo "1817 em 200 Segundos"


Revolução Pernambucana de 1817 em Bom Pernambuquês- Capa
Vídeo "Revolução Pernambucana de 1817 em Bom Pernambuquês"