BNDigital

21 de setembro | Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença de Alzheimer

21 set 2020

Artigo arquivado em Datas comemorativas
e marcado com as tags As Viagens de Gulliver, Associação Brasileira de Alzheimer, Ciência, Doença de Alzheimer, Jonathan Swift, Ronald Reagan, Secretaria Especial de Cultura

“Quando, porém, atingem noventa anos, ainda é pior: [...] perdem a noção das coisas mais fáceis de reter, e esquecem o nome dos amigos e às vezes o próprio. Torna-se-lhes por este motivo inútil entreterem-se com a leitura, pois que, quando querem ler uma frase de quatro palavras, esquecem as duas primeiras, enquanto leem as duas últimas. Pelo mesmo motivo lhes é impossível conversar com alguém.”

(Jonathan Swift, As Viagens de Gulliver)

O Mal de Alzheimer, uma doença cerebral incurável que destrói as faculdades mentais, atinge milhões de pessoas em todo o mundo. A doença traduz-se por um enfraquecimento intelectual progressivo, provocado pela destruição dos neurônios e que leva à morte alguns anos depois. Antes de provocar a morte, porém, a doença devasta o cérebro. A “praga” silenciosa se manifesta com a perda da memória e o paciente regride a um estado infantil, necessitando de atenção dia e noite.

A Doença de Alzheimer, mais frequente em pessoas acima de 45 anos, somente a partir de 1987 conseguiu uma grande popularização, ano em que morreu a atriz Rita Hayworth, vítima da doença e taxada de alcoólatra e dependente de drogas por aqueles que desconheciam o mal. Confundida muitas vezes com a Arteriosclerose, a doença é de difícil diagnóstico. Embora a compreensão da apresentação clínica, da história natural e da patologia molecular, tenha aumentado nos últimos anos, todo esse conhecimento não levou a um tratamento capaz de alterar a doença.

O romance "As Viagens de Gulliver", de 1726, contém a primeira descrição da doença, enfermidade que matou seu autor, Jonathan Swift. Em seu célebre livro, o famoso escritor descreve os "imortais" como uma gente sem memória que, por esquecer as coisas mais banais, é incapaz de manter mesmo uma simples conversa. Para o médico John Lewis, o prosador anglo-irlandês fez em sua narrativa uma detalhada descrição de sua própria doença. Nos últimos anos de sua vida, Swift foi declarado incapaz de conduzir a si mesmo por ter perdido faculdades mentais como a memória (http://memoria.bn.br/DocReader/885959/175685).

Em 3 de novembro de 1906, Alois Alzheimer, um psiquiatra alemão, descreveu o primeiro caso documentado da doença. Depois disso, falar de uma doença que provoca a deterioração das funções cerebrais, como perda de memória e da linguagem, passou a ser um tabu.

O tabu foi quebrado em 5 de novembro de 1994, quando Ronald Reagan, aos 83 anos, anunciou publicamente que sofria do mal de Alzheimer. O ex-presidente dos EUA procurou fazer o anúncio para "conscientizar o público" sobre a doença (http://memoria.bn.br/DocReader/154083_05/27787). Reagan relatou: "Ao abrir nosso coração, esperamos aumentar a conscientização sobre a doença. Talvez ajude a entender melhor os indivíduos e famílias afetados."

O Mal de Alzheimer acarreta graves estados de desequilíbrio emocional com depressão e queda da resistência física. As pessoas ficam mais predispostas a infecções, isolamento social, problemas de ordem conjugal, e a maior ocorrência de acidentes domésticos. A grande arma no enfrentamento do problema é a informação aliada à solidariedade. À medida que se conhece melhor a doença, seus sintomas, evolução e características, vários recursos e estratégicas podem ser usados com sucesso (http://memoria.bn.br/DocReader/154083_05/32985).

O dia 21 setembro é o dia mundial do Alzheimer, data em que se marca a necessidade de defesa e conscientização da sociedade, sobre a importância da prevenção, do diagnóstico precoce e do cuidado ofertado, bem como do apoio e suporte aos familiares e cuidadores das pessoas que vivem com a doença.

No Brasil, a Lei n.º 11. 736, de 10/07/2008, instituiu o dia 21 de setembro como o Dia Nacional de Conscientização da Doença de Alzheimer, dando suporte legal para campanhas publicitárias que esclareçam sobre essa patologia. O dia 21 de setembro também marca a data global de conscientização sobre a Doença. Todos os anos, neste dia, a Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz) realiza campanhas de conscientização que mobilizam milhares de famílias em todo o país.