BNDigital

História do livro - “Eu tô te explicando pra te confundir”: livros de emblema e Georgette de Montenay

09 jun 2021

Artigo arquivado em História do Livro
e marcado com as tags Georgette de Montenay, História do Livro, Livros de Emblemas

Em meados do século XVI, momento em que as tipografias encontravam-se estabelecidas na Europa e a impressão de livros ampliava substancialmente, surgiu um formato de publicação chamado livro de emblema.

Por definição, emblema é “Aquilo que traz consigo uma sentença moral associada à uma imagem, ou explica os seus sentidos”. Portanto, o livro de emblema uniu de forma singular os textos e as imagens dispostas nos livros, através da associação dos tipos móveis com gravuras que apresentavam alegorias sobre o conteúdo da obra.

Estabeleceu-se, então, uma nova relação entre palavras e ilustrações, que aponta o livro de emblema como um precursor da expressão contemporânea audiovisual por denominar os emblemas como imagens falantes ou mesmo como o ancestral gráfico dos memes. Assim, os versos ou pequenas prosas nos livros de emblema vinham acompanhados de imagens que poderiam melhor elucidar o texto, ou mesmo confundir o leitor por oferecer mais de uma interpretação possível; assim, tornava-se necessário interpretar e decodificar suas mensagens.


Emblemata amoris..., livro de Raphael Custodis, 1622 | Fonte: Acervo BNDigital

Neste contexto, remando contra a maré cristã católica e à predominância masculina nas publicações, Georgette de Montenay (1540-1607) se estabeleceu como primeira e única reconhecida autora de livros de emblema com ênfase no cristianismo protestante, sendo também considerada umas das primeiras a explorar os emblemas com a finalidade de fazer propaganda religiosa a partir da sua obra Emblemes ou devises chrestiennes, com gravuras de Pierre Woeiriot (1532-1599). Destaca-se que, ainda recentemente, acreditava-se que esta obra fora publicada em 1571; contudo, descobriu-se que surgiu primeiramente em 1567, mas devido à conjuntura política foi publicada somente mais tarde.


Na Biblioteca Nacional é possível acessar integralmente digitalizada a obra Nobilis Gallae Emblematvm Christianorvm centvria, cum eorundem Latina interpretatione, de Georgette de Montenay publicada em 1602, que faz parte da Coleção Diogo Barbosa Machado.

REFERÊNCIAS:

1 EMBLEMA. In: DICIONÁRIO Online de Português. Disponível em: https://www.dicio.com.br/emblema/. Acesso em: 12 mar. 2021.

2 GRIECO, A. Livros de emblemas: pequeno roteiro de Alciati à iconologia de Cesare Ripa. ALCEU, Rio de Janeiro, v. 3, n. 6, p. 79-92, jan./jun. 2003. Disponível em: http://revistaalceu-acervo.com.puc-rio.br/media/alceu_n6_Grieco.pdf. Acesso em: 12 mar. 2021.

3 PINCELLI, R. Emblemáticos: os livros mais icônicos do Renascimento. Science Blogs, [Campinas, SP], mar. 2020. Disponível em: https://www.blogs.unicamp.br/sbbr/blog/2020/03/06/emblematicos-os-livros-mais-iconicos-do-renascimento/. Acesso em: 15 mar. 2021.

4 URSU BOOKS & GALLERY. Emblemes, ou devises chrestiennes. New York, [20--?]. Disponível em: https://www.ursusbooks.com/pages/books/166944/georgette-de-montenay-montenay/emblemes-ou-devises-chrestiennes. Acesso em: 15 mar. 2021.

5 ADAMS, A. Georgette de Montenay’s Emblemes ou devises chrestiennes, Lyons, Jean Marcorelle, 1567/1571. In: GLASGOW UNIVERSITY EMBLEM WEBSITE. French embleme at Glasgow. [Glasgow, 20--?]. Disponível em: https://www.emblems.arts.gla.ac.uk/french/books.php?id=FMOa. Acesso em: 15 mar. 2021.


Explore alguns livros de emblema disponíveis na BNDigital:

Ae. Albertini Emblemata hieropolitica versibus et prosa illustrabat Joannes Melitanus a Corylo eiusdem musae errantes (Albertinus, Aegidius, 1560-1620)

Diverse imprese accommodate a diverse moralita, con versi che i loro significati dichiarano. Tratte da gli Emblemi (Alciati, Andrea, 1492-1550)

Emblemata (Maccio, Paolo, ca. 1570-ca. 1640)

Emblemata amoris... Studio & opera Raphaelis Custodis (Custos, Raphael, ca. 1590-1651)

Emblemata of Zinne-werck (Brunes, Johan de, 1588-1658)

Fabulae centum ex antiquis auctoribus delectae et a Gabrielle Faerno Cremonensi carminibus explicatae (Faerno, Gabriello, m. 1561)

Monvmenta Emblematvm Christianorum Virtvtvm tum Politicarum, tum Oeconomicarum chorum centvria vna adumbrantia... Rhythmis Gallicis...conscripta... /, à Georgia Montanea...

Theatre du monde  (Goulart, Simon, 1543-1628)

Theatro moral de la vida humana, en cien emblemas; con el Enchiridion de Epicteto, y la Tabla de Cebes, philosofo platonico (Veen, Otto van, 1556-1629)