BNDigital

Rede da Memória Virtual Brasileira

< Voltar para Dossiês

Arquivos do Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Haroldo Cavalcante de Lima
Maria da Penha Ferreira


O periódico Archivos do Jardim Botânico do Rio de Janeiro foi criado em 1915 pelo então diretor do Jardim Botânico, Antônio Pacheco Leão, com a finalidade principal de divulgar os estudos científicos realizados pelos cientistas e técnicos da instituição. Entre 1915 e 1933, foram publicados seis volumes; a partir de 1947, depois de um intervalo de 14 anos, publicaram-se mais 27 volumes, com o título já seguindo a nova ortografia. Em 1996 a publicação foi interrompida no volume 34 (parte 2).

Desde a sua criação, importantes botânicos divulgaram nesse periódico os resultados de suas pesquisas, em sua maioria estudos sobre a flora brasileira. O tema “sistemática de plantas” foi o mais freqüente. Entre os principais colaboradores, na primeira fase da publicação, destacam-se Alberto Loëfgren, Adolpho Ducke, João Geraldo Kuhlmann, Paulo Campos Porto e Fernando Rodrigues da Silveira. Seus estudos contribuíram particularmente para o avanço na taxonomia de famílias de elevada diversidade nos trópicos, tais como Cactaceae, Orchidaceae, Leguminosae e Eriocaulaceae e outras. Deve ser ressaltado o grande impacto da série iniciada por Adolpho Ducke, Plantes nouvelles ou peu connues de la région amazonienne, ainda hoje a mais expressiva contribuição para o conhecimento da flora amazônica depois da Flora Brasiliensis, de Martius.

Em volumes posteriores juntaram-se novos autores de grande relevância na botânica do Brasil, entre os quais Alexandre Curt Brade, Carlos Toledo Rizzini, Graziela Maciel Barroso e Edmundo Pereira com suas vastas contribuições em taxonomia, além de Fernando Romano Milanez, Armando de Mattos Filho e Paulo Agostinho de Matos Araújo na área de anatomia vegetal. Já em sua fase final, entre os anos 80 e 90, a revista foi o veículo princiopal de divulgação da produção científica de uma nova geração de botânicos envolvidos em estudos taxonômicos, anatômicos e fitogeográficos, formados, em sua maioria, sob a orientação de Brade, Graziela e Rizzini.

Ao longo dos seus 79 anos de existência, sobressaiu nos Arquivos a contribuição da comunidade científica nacional, embora vários botânicos estrangeiros tenham também divulgado artigos de elevada referência sobre plantas brasileiras. Em síntese, foram publicados 297 artigos de autoria de 139 botânicos e estudiosos de áreas afins, dentre os quais 115 brasileiros e 22 estrangeiros.

Hoje, depois de um hiato de 18 anos, consolidam-se os esforços para reativar a publicação, já no segundo semestre de 2012. A revista deverá ter como foco a publicação de textos revisionais e de textos oriundos de programas e projetos do corpo funcional do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro e de seus parceiros, bem como a publicação de estudos de pesquisadores de outras instituições, tanto do Brasil como do exterior.