BNDigital

Artes | Dia Nacional do Teatro (19 de setembro)

19 set 2020

Artigo arquivado em Arte
e marcado com as tags Artes Cênicas, Biblioteca Nacional, Dia Nacional do Teatro, Música Popular Brasileira, Teatros do Rio

Teatro São José

Neste dia nacional do teatro, a Biblioteca Nacional lembra aquele que foi um dos teatros mais importantes da cena Carioca até os anos de 1920, o Teatro São José.

Fundado como Theatro Príncipe Imperial em 1881, passou por várias denominações até a última como Theatro São José (1903): Theatro Eden Fluminense (1886), Theatro Recreio Fluminense (1887), Theatro Variedades Dramáticas (1888), Café Cantante Moulin Rouge (1900).

No Teatro São José apresentavam-se comédias, dramas e operetas. Seu público era bem eclético, incluindo a elite e elementos populares. A Praça Tiradentes, no centro do Rio de Janeiro, tornou-se o epicentro dos divertimentos ligeiros da cidade e o São José era parte importante disso. A partir da sua aquisição pelo empresário Paschoal Segreto, transformou o teatro em café-concerto e mudou o nome para Moulin Rouge, construindo um moinho movido à eletricidade na fachada do teatro. Tornou-se ponto de encontro noturno da juventude carioca. A consagração como casa de espetáculos veio com a encenação de “O Mandarin”, de Arthur Azevedo, em 1904.

Com o tempo veio a ser a casa mais famosa do teatro de revista, especialmente porque foi o berço da Companhia de Burletas e Revistas do São José, criada em 1911, por Paschoal Segreto. Ele transformou o Teatro em Cineteatro, implementou o teatro por sessões, que barateou o preço dos ingressos e garantiu o acesso da camada mais pobre ao teatro. Nos palcos do São José foram lançados autores, atores e atrizes, consolidaram modas musicais e um tipo de linguagem teatral com forte tom regional, carioca.



Theatro São José. [S.l.: s.n.], [1926]. 1 foto, gelatina, p&b, 14,7 x 11,1 cm

(Seção de Iconografia)