BNDigital

Políticas de Digitalização

Desenvolvimento das coleções digitais da Biblioteca Nacional Digital – BNDigital

 

1. Introdução

A missão da Biblioteca Nacional consiste na coleta, tratamento e conservação do patrimônio documental brasileiro em língua portuguesa e sobre o Brasil; bem como assegurar seu estudo, divulgação e as condições para sua disseminação. A conversão de documentos analógicos para formatos digitais propiciou novas formas de acesso às coleções da Biblioteca Nacional, além de contribuir para a preservação das obras originais.

Nesta sequência e em linha com o objetivo estratégico de rever e formalizar a política de seleção para digitalização, este documento visa descrever os eixos prioritários para o desenvolvimento das coleções digitais da Biblioteca Nacional Digital – BNDigital, assim como, estabelecer os processos e critérios de avaliação e seleção de conteúdos a digitalizar.

 

2. Objetivos da digitalização

– Difundir as coleções da Biblioteca Nacional, diversificando sua esfera social (comunidade ou público-alvo) e enriquecendo as possibilidades de acesso e uso;

– Promover a salvaguarda do acervo original da Biblioteca Nacional;

– Subsidiar atividades culturais e de extensão, em nível local, nacional e internacional, que envolvam o uso da imagem digital como recurso de difusão, segurança, preservação e salvaguarda.

 

3. Seleção para a digitalização

– Política: Considerar o valor histórico ou memorial, a importância e a raridade de obras específicas, assim como a relevância de coleções, na sua totalidade ou em parte, selecionadas de forma a reunir uma massa crítica de informação, i.e. um volume mínimo de conteúdos que permita a contextualização e o inter-relacionamento das obras que compõem a BNDigital.

 

Critérios:

 

1.      Item que constitua o objeto da missão estatutária da Biblioteca Nacional, implicando a digitalização de segurança, para formação de reserva técnica;

 

2.      Item em Domínio público ou cuja reprodução seja autorizada pelo titular dos direitos intelectuais e morais;

 

3.      Item identificado conforme os critérios de Raridade, Ineditismo e/ou Cronologia, praticados pelas áreas de guarda;

 

4.      Item cuja digitalização é demandada por usuários;

 

5.      Item selecionado, no contexto de efemérides, pesquisas institucionais, parcerias e patrocínios e apoios financeiros externos. Ex.: Cartografia histórica, Hemeroteca digital; Fotografias da Coleção Thereza Christina Maria, Projeto França Brasil e Biblioteca Digital Luso-Brasileira;

 

6.      Item já descrito/identificado nas bases bibliográficas e tombado no Livro de Registro de Acervos Bibliográficos e Documentais da Biblioteca Nacional;

 

7.      Item restaurado/microfilmado – digitalização sistemática, como condição e parte do processo de preservação;

 

8.      Item fragilizado em condições materiais de tal modo deteriorado que o acesso e o manuseio envolvam riscos à sua integridade;

 

9.      Item com potencial colaborativo, que complemente e/ou se complemente por coleções digitais de outras instituições;

10. Item selecionado para edição, exposição e/ou outra ação de extensão local, nacional ou internacional.