BNDigital

Catálogo da Coleção De Angelis *

15 jun 2014

APRESENTAÇÃO

Adquirida em 1853 por d. Pedro II, para integrar o acervo da Biblioteca Nacional, então Biblioteca Pública da Corte, a Coleção Pedro De Angelis, político e bibliófilo italiano naturalizado argentino, é composta de 1.533 peças – 88 obras impressas, 1.300 manuscritos, 52 litografias e 93 mapas –, em sua maioria sobre questões políticas e territoriais no sul do continente.

Natural de Nápoles, Pedro De Angelis (1784 – 1859) foi professor de Geografia e História em sua cidade, além de bibliotecário da Real Escola Politécnica e Militar. Após o fim do império napoleônico, tornou-se funcionário da Secretaria das Relações Exteriores, indo servir em Paris onde conheceu inúmeras personalidades.

Em 1927, convidado pelo presidente da Argentina Bernardino Rivadávia, foi morar em Buenos Aires. Logo se naturalizou argentino e passou a participar intensamente da vida cultural e política do país, criando periódicos, fundando um colégio e estudando línguas indígenas. Com a queda do ditador Manuel Rosas, em 1851, a quem também serviu em diversos órgãos do governo, deixou Buenos Aires, refugiando-se em Montevidéu.

Foi na Argentina que formou sua coleção de livros e documentos, organizada e relacionada por ele próprio no catálogo intitulado Coleccion de obras impresas y manuscritas que tratan principalmente del Rio de la Plata e mais tarde vendi da ao Brasil em negociação intermediada por José Maria da Silva Paranhos, o visconde do Rio Branco.

Uma comissão nomeada pelo governo do Império, e da qual fazia parte o então bibliotecário (diretor) da Biblioteca Nacional, frei Camilo de Montserrat, recebeu a coleção. Uns poucos documentos foram retirados por De Angelis e 120 deles foram encaminhados à Secretaria de Negócios Estrangeiros (atual Ministério das Relações Exteriores).

Entre os manuscritos da coleção, destaca-se a seção intitulada por De Angelis Planos y mapas, um conjunto de 93 mapas. Este número é bem maior do que as 51 referências do catálogo organizado por De Angelis, o que se explica pelo fato de algumas delas dizerem respeito a mais de um mapa ou desenho. Os mapas são relativos a questões de fronteiras entre os domínios de Portugal e Espanha na América do Sul, missões jesuíticas, fortificações no Gran Chaco e expedições ao interior do continente, todos de interesse para o estudo da formação dos países da América do Sul.

Elaborados por demarcadores de fronteiras, viajantes e militares e hoje considerados documentos raros, esses mapas e planos foram descritos e analisados, na Divisão de Cartografia, por uma equipe de estudantes do curso de História da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – além de higienizados e, quando necessário, restaurados pelo Laboratório de Restauração da Biblioteca Nacional –, dando origem ao catálogo agora publicado.

MARIA CRISTINA LEAL FEITOSA COELHO


1. ALVAREZ CONDARCO, Jose Antonio. Mapa de la prov[inci]a de Mendoza : levantado por el coronel José Antonio Alvarez Condarco por lo conocimientos que adquirio en los años de 1815 y 1816, con motivo de la expedicion a Chile .... 1837. 1 mapa ms.: aquarelado ; 47,5 x 35,7 cm. em f. 55,6 x 43,7 cm. ARC.009,14,002

Abrange os territórios das atuais províncias de Mendoza, San Luis, La Pampa, Neuquen e Rio Negro, no Ocidente argentino. Indica em linha amarela a fronteira do Chile com a Argentina entre as provínbcias de San Juan e Neuquen, em azul o caminho percorrido em 1832 pela expedição do general Aldao e em rosa, caminhos do Ocidente argentino da primeira metade do século XIX. Elaborado a partir de reconhecimentos feitos, pelo coronel Condarco, da região Andina como preparativos para a célebre cruzada dos Andes liderada por San Martín. Inclui rios, lagos, cidades, vulcões e acampamentos das expedições.

2. ANGEL DEL LEYBA, Diego. Mapa de los limites del Gran Chaco en la parte descuvierta en las expedicciones practicadas desde el año de 1774 hasta el de [1]782 : en que se enmiendan muchos yerros reconocidos con practico conocim[ien]to y demuestran en la historia corografica q[u]e escrivió el Dr. Dn. Jose Arias Hidalgo... Buen[o]s Ayr[e]s [Argentina], 1784. 1 mapa ms. : desenho a tinta ferrogálica, aquarelado; 39,7 x 49,6 cm. ARC. 009,15,005

Abrange a região do Gran Chaco nos atuais territórios da Argentina e Paraguai. Indica as cidades de Santa Fé, Córdoba, Santiago del Estero, San Miguel de Tucumán, Salta, San Salvador de Jujuy, Corrientes e Assunção; fortes e reduções de índios mataguayos e chulupies; os rios Salado, Pilcomayo, Vermelho, Paraguai e Paraná. O mapa resultante desse esboço está em ARC.025,04,011, com variação no título. Inclui rosa-dos-ventos com flor-de-lis. Relevo e vegetação representados em forma pictórica. Mapa anteriormente em duas partes, atualmente entelado em uma parte.

3. ANGEL DEL LEYBA, Diego. Mapa que comprende los limites del Gran Chaco en la parte que está descubierto con las expediciones que se han practicado desde el año de 1774 hasta el de 1782: se enmiendan en el muchos yerros de los mapas a[ntigu]os que con practico conocimiento se han reconocido, y se demuestran en la Historia Corografica que escribió el Dr. Dn. Josè Antonio Arias Hidalgo. Buenos Aires [Argentina], 1784.1 mapa ms. : desenho a nanquim e a lápis, aquarelado; 38,5 x 47 cm. ARC. 025,04,011

Abrange a região do Gran Chaco, nos atuais territórios de Argentina e Paraguai. Indica as cidades de Santa Fé, Córdoba, Santiago del Estero, San Miguel de Tucumán, Salta, San Salvador de Jujuy, Corrientes e Assunção, fortes e reduções dos índios mataguayos e chulupies; mostra os rios Salgado, Vermelho, Pilcomayo, Paraguai e Paraná. Há um esboço do mapa localizado em ARC.009,15,005, com
variação de título. Escala de 100 léguas espanholas [= 12,3cm.]. Contém rosa-dos-ventos com flor-de-lis. Relevo representado em forma pictórica. Legenda colada posteriormente. Entelado.

4. ARENALES, J. Carta de la seccion austral del Gran Chaco con el curso detallado del Rio Bermejo: segun los diarios de la campaña del gobernador Matorras en 1774 y del viage por agua del coronel Cornejo en 1790. Buenos Aires [Argentina]: Bacle y Cia. Litografos del Estado, 1832 (litografado 1833). 1 mapa ; 5 x 34 m em f. 46 x 39cm. ARC. 007,05,006

Abrange as províncias de Corrientes, Santa Fé, Santiago del Estero, Chaco, Formosa e Salta. Destaca as cidades de Corrientes e Oran, indica caminhos e os rios Picolmayo, Paraguai, Uruguai e Salado. Provavelmente faz parte da obra “Diario de la expedición hecha en 1774 á los paises del Gran Chaco de Geronimo Matorras”. www.chaco.gov.ar/cultura/chaco/tema011.htm (05/04/2006). Meridiano de origem: Buenos Aires. Litografado por Arenales e Guerrin. Relevo e vegetação representados em forma pictórica. Entelado.

5. ARROWSMITH, Aaron, 1750-1823. Carta de la provincia de Buenos Ayres. Londres : Bartolomé Muñoz, 1824. 1 mapa: col.; 76,5 x 62 cm. em f. 81 x 66cm. ARC. 007,03,013

Indica o caminho percorrido por D. José de la Peña Zazueta de Buenos Aires a Carmen de Patagones e o de Pablo Zizur, em 1786, da Guardia de Lujan a Salinas etc. Indica o local onde os caciques se reuniram em 1822 com uma comissão do governo de Buenos Aires. Meridiano de origem: Buenos Aires. Escala gráfica de 60 milhas geográficas [= 9cm]. Relevo e vegetação representados em forma pictórica.
Entelado.

6. AYMERICH Y VILLAJUANA, Antonio.Croquis por el qual se hace presente el camino que se propone hacer desde el pueblo de Sn. Pedro hasta la otra vanda del rio Baures passando p[o]r las estancias del pueblo de Sn. Miguel... 1766. 1 planta ms.: desenho a nanquim; 37,1 x 21,9 cm. em f. 38,8 x 23,1 cm. ARC. 023,01,015

Abrange a província de Beni. Indica os rios Itenes ou Guaporé, Mamoré, Machupo, Baures e locais onde seriam construídos os fortes. Entelado.

7. BACLE, César Hipólito, 1794-1838. Plano topografico de la ciudad è imediaciones de Buenos Aires: dedicado a... gobernador y capitan general, brigadier D.J.M. de Rosas. [Buenos Aires, Argentina]: Imprenta del Comercio y Litografia del Estado, 1836. 1 planta; 67 x 119 cm. ARC. 001,06,030

Indica edifícios públicos. Relevo e vegetação representados em forma pictórica. Planta em três partes entelada. Gravado por J. F. Guerrin.

8. BAHIA o puerto de Sn. Julian situado en los 59 grados de latitud sur y en los 31 grados 22 minutos de longitud al meridiano de tenerife: |b Los numeros que arriba se espresan son brazas de 2 a [sic] castellanas, estas son en la bajamar que en las mareas vivas... [17—]. 1 mapa ms.: desenho a nanquin ; 54,5 x 43 cm em f. 63 x 52,5 cm. ARC. 009,15,017

Abrange a área que vai desde a baía de San Julian até o cabo de Santa Elena. Relevo representado de forma pictórica. Possui rosa-dos-ventos, flor-de-lis e batimetria. Escala gráfica de léguas comuns de França [= 3cm]. A baía de San Julian encontra-se destacada na parte superior esquerda do mapa. Provavelmente adquirido da coleção Pedro De Angelis em 1853. Coleção Pedro De Angelis. Entelado.

9. BELLIN, Jacques Nicolas, 1703-1772. Mapa y planta del Rio de la Plata : levantada y emendada novamente por los pilotos del Rey = Carte hidrographique de la riviere de la Plata : Riviere d’Argent : dresée sur les cartes et memoires des officiers et polites espagnols les plus habile. [Paris, França]: [s.n.]; 1770. 1 mapa; 38,2 x55,6 cm em f. 41 x 58,5 cm. ARC. 003,04,008

Contém flor-de-lis, marca d’água e batimetria. Relevo representado em forma pictórica. Logomarca: Depot de la Marine. Na parte superior do mapa encontra-se a nº 87. Gravado em metal, possui três escalas gráficas respectivamente: em léguas espanholas de 17 léguas e medida em grau segundo o uso antigo [= 11,5cm]; em léguas espanholas de 26 em média, em grau segundo Don Jorge Juan e Don Antonio de Ulhoa [= 11,5cm] e de 70 léguas da França e da Inglaterra de 20 por um grau [= 37cm]. Entelado.

10. BELLIN, Jacques Nicolas, 1703-1772. Plan de la ville de Buenos-Ayres. [Paris,França]: [s.n.], [1756]. 1 planta; 18 x 28cm em f. 24 x 36 cm. ARC. 003,06,002 ex.1

Outra tiragem do mapa em: Bellin, Jacques Nicolas.Le Petit atlas maritime. Indica alguns edifícios públicos. Contém rosa-dos-ventos com flor-de-lis. Cartucho de título ilustrado com flores e marca-d’água. Relevo representado em forma pictórica. Escala gráfica de 100 Toesas [= 3cm]. Gravura em metal. Ex. 2: Biblioteca Fluminense. Entelado.

11. CABRER, Jose Maria 1761-1836. Carta Esferica de las Pampas de Buenos ayres y parte Austral del Reyno de Chile. 1811. 1 mapa ms.: desenho a nanquim e a lápis; 37 x 37,6 cm. ARC. 009,14,005

Abrange toda a parte central de Argentina e Chile.Destaca as cidades de Buenos Aires, Colônia del Sacramento, Mendoza, Santiago, Valparaíso, Penco e Valdivia. Mostra as rotas de D. Luis de La Cruz, D. Justo Molina, D. Pablo Zizur, o caminho de Salinas dentre outros trajetos continentais utilizados na região entre o final do século XVIII e o início do XIX. Indica os rios: Negro, Colorado, Diamante, Terceiro, Quarto, Quinto, Tunuyan e Neuquen, dentre outros rios chilenos. Na parte superior indica as latitudes e longitudes da cidade de Buenos Aires, cabo de Sn. Antonio, cabo Corrientes e Punta de Piedras. Relevo representado em forma pictórica. Entelado.

12. CABRER, José Maria, 1761-1836. Plano Geografico que comprehende la Provincia de Buenosayres : departamentos ò limites de cada una de las propuestas cinco subdelegasiones de la Provincia de Buenosayres. 1821. 1 mapa ms: desenho a tinta nanquim; 61 x 90 cm em f. 66 x 98 cm. ARC. 009,14,011

Abrange da Bahia de Samborodón à cidade de San Nicolas, na atual Província de Buenos Aires, e a Guardia de Melingue. Indica cidades, vilas, fortes, rios, lagos, e caminhos. Meridiano de origem: Buenos Aires.Relevo representado em for ma pictórica. Cinco partes enteladas em uma folha.

13. CARDEILLAC, Juan P. Plano topografico de la ciudad de Montevideo capital del Uruguay: de su primera y segunda linea de fortificaciones que para su defensa se construyeron desde de enero de 1843 el cual indica las baterias y guardias avanzadas del ejército sitiado, mandado por el brigadier general dn. Manuel Oribe. Montevideo [Uruguai]: Imprenta Litográfica de Mège y Lebas, 1849.
Uma planta; 54,5 x 65 cm.. ARC. 007, 08,006

Indica as linhas de defesa do exército organizado por Oribe, que apoiado por Rosas, da Argentina, sitiou Montevidéu entre 1843 e 1851, conhecido pelo nome de “Sitio Grande”. Escala gráfica de mil varas castelhanas ou um milímetro por cada dez varas [= 11cm]. Litografado.Vegetação representada em forma pictórica e relevo em hachura. Entelado.

14. CARTA esferica de las costas de la America Meridional desde el paralelo 36º30’ de latitud S. hasta el Cabo Hornos: levantada de orden del rey en 1789.90... 94 y 95 por varios oficiales de su R[ea]l Armada... [S.l.: [s.n.], 1798. 1 mapa; 100 x 63,5 cm. ARC. 007,10,010

Abrange de Punta de Mendanos (Argentina) a ilha de Santa Mariano – Golfo de Arauco (Chile).Gravado por: Felipe Bauza. Inclui batimetria. Meridiano de origem: Cadiz. Contém sete vistas panorâmicas. Inclui monograma MR.Encarte: “Carta esferica de la parte Norte del Golfo de Sn. Jorge”. Entelado.

15. CARTA geografica de la provincia de Buenos-Aires. - Buenos Aires : Bacle, 1830. 1 mapa; 47,5 x 39,5cm em f. 55,5 x 46,5 cm. ARC. 007,15,006

Abrange da Bahia Blanca à cidade de San Nicolas, na atual província de Buenos Aires, e pequena parte do sul do Uruguai. Mostra a fronteira entre as províncias de Buenos Aires e La Pampa estabelecida em 1828. Indica fortes e caminhos. Litografado por J. F. Guerrin.Escala gráfica de 20 léguas [= 6,5cm]. Possui flor-de-lis.Relevo e vegetação representados em forma pictórica. Entelado.

16. CARTA geografica del Estado Oriental del Uruguay y posesiones advacentes trazada segun los documentos mas recientes y exactos : publicada bajo la direccion del Sor. A. Roger consul de Francia dedicada al Exmo. Sor. presidente gal. dn. Fructuoso Rivera. Paris : Lith. N. Chaix et Cie., 1841. 1 mapa; 80 x 55cm; dobrado para 18 x 13 cm. ARC. 034,11,028

Abrange as atuais províncias de Entre Rios e Corrientes (Argentina); sul do Paraguai e sul do Brasil.O mapa se insere no contexto do conflito conhecido como “Guerra Grande” (1839 - 1851), uma guerra civil travada entre os países do rio da Prata. Fructuoso Rivera, fundador do Partido Colorado, foi eleito em 1830, o primeiro presidente constitucional do Uruguai. Escala gráfica em léguas marítimas
[= 6,4cm]. Anteriormente acondicionado em capa com outro mapa: “Plano topografico de la ciudad y cercanias de Montevideo”. Entelado.

17. [CARTA itinerária de Buenos Aires a Mendoza]. [18-?]. 1 mapa ms.: desenho a tinta ferrogálica; 30 x 114 cm. ARC. 029,04,011

Abrange extensa área, cortando o território argentino de oeste a leste.O caminho desenhado passa pelos territórios das atuais províncias de Mendoza, San Luis, Córdoba, Santa Fé e Buenos Aires. Indica a Vila de San Luis, atual capital da província de mesmo nome, o rio Tunuyan e outros caminhos nas províncias de Mendoza e San Luis. Inclui marca-d’água: brasão e letras.

18. CARTA reducida del Estrecho de Magallanes: construida por el comandante, oficiales y pilotos de la fragata de S. M. Sta. Maria de la Cabeza. [Madri] : [s.n.] ; 1788. 1 mapa; 49,5 x 70,2cm em f. 53 x 72,2 cm. ARC. 021,02,027

Carlos III, rei de Espanha, mandou realizar uma expedição a bordo da fragata Santa María de la Cabeza para conhecer exaustivamente o Estreito. Este mapa é o resultado das revelações hidrográficas feitas por aqueles oficiais da Marinha Espanhola entre 1785 e 1786, e publicado em 1788. Faz parte da obra “Relacion del último viage al Estrecho de Magallanes de la fragata de S.M. Santa María de
la Cabeza en los años de 1785 y 1786”, localizada em: AT.027,02,063 n.01.Indica morros, canais, ilhas e rios. Inclui batimetria e rosa-dos-ventos com flor-de-lis. Relevo e vegetação representados em forma pictórica. Meridiano de origem: Cadiz.Gravado em metal por: Bart[holomé] Vasquez.

19. CERVIÑO, Pedro Antonio. Carta esferica de la frontera del sur de B[ueno]s Aires : reconocida ultimamente de ord[e]n del excelentissimo s[eñ]or Virrey Pedro Melo de Portugal, por el cap[ita]n de [na]vio D[o]n Felix Azara para designar paragens p[ar]a estabelecer nuebas guardas para cubrir y defender con igualdad la frontera y adelantar terrenos. 1 mapa ms. : desenho a nanquin, aquarelado;
76,5 x 126,5m. ARC. 001,01,037

Abrange a região do Estuário do Prata, nos atuais territórios do Uruguai, Argentina e parte do Rio Grande do Sul. O mapa se insere no contexto dos conflitos entre a aliança brasileiro-entrerriense-colorada, contra a blanco-portenha que ocorreu no final da primeira metade do século XIX.Destaque para as cidades de Buenos Aires e Colônia del Sacramento. Acima do título: Al Exmo. Señor Brigadier Grãl. Don Manuel Oribe Presidente de la Republica Oriental del Uruguay. Manuel Oribe fora eleito segundo presidente constitucional do Urugüai em 1835, depos to em 1838 pela revolução de Rivera. Em
1843, com apoio de Buenos Aires, promove um sítio à cidade de Montevidéu e retorna à Presidência, onde é derro tado pela coligação brasileiro-entrerriensecolorada em 1851. Oribe foi também chefe do exército de vanguarda da confederação argentina em 1841. O autor do mapa, coronel José Maria Reyes, fora considerado por seus contemporâneos um grande geógrafo. Participou das comissões demarcadoras de limites, entre Brasil e Uruguai, a partir de 1851, tendo trabalhado na polêmica demarcação de limi tes da região do Rincão de Artigas, onde foi cedida ao Brasil a denominada ilha Brasileira. Indica diversos caminhos ligando cidades, povoados e fortins. Relevo representado em forma pictórica. Título localizado no verso do mapa. Inclui flor-de-lis. Entelado. Cartucho de título em branco.

20. CERVIÑO, Pedro Antonio. Carta plana de la costa del Brasil, que contiene desde las islas de Sta. Ana hasta la punta Joatinga, copiado de un original portugues impreso en el janeiro, en 1785. [18—]. 1 carta ms. : desenho a nanquim. 34,5 x 52 cm. ARC.025,11,013

Abrange da Ponta de Joatinga (divisa do RJ com SP), até Macaé (RJ); indica ilhas e rios. Provavelmente é uma cópia do início do século XlX. Contém flor-de-lis, marca-d’água e batimetria. Feito anteriormente em duas partes. Com encarte: Mapa da Baía de Guanabara com escala gráfica de 3 léguas [= 9 cm].Entelado e truncado. Existe outro mapa semelhante, gravado em metal, com variação do
título e em português, localizado em ARC. 007,12,007.

21. CERVIÑO, Pedro Antonio. Plano del puerto de la encenada de Barragán: situado en la costa meridional del Rio de la Plata en 34 grs. 46 ms. 38 segs. de latitud y 00 g[r]s. 24 ms. 14 segundos de longitud oriental del meridiano de Buenos y en.... 1798. 1 mapa ms.: desenho a nanquim; 43,2 x 35 cm em f 46,8 x 37,5 cm. ARC. 023,06,025

Plano do porto da enseada de Barragán, solicitado pelo consulado e levantado por Pedro Antonio Cervino e Juan Ynciarte. A enseada de Barragán localiza-se sobre o Rio De La Plata, província de Buenos Aires, lugar escolhido como porto principal da província. Contém escala gráfica de uma milha [= 6,5cm]. Vegetação representada em forma pictórica. Possui flor-de-lis, batimetria e marca d’água. Entelado.

22. CERVIÑO, Pedro Antonio. [Plano Geografico que comprehende a Provincia de Buenosayres]. 1810. 1 mapa ms.: desenho nanquim; 61 x 90 cm em f. 66 x 98 cm. ARC. 001,03,016

Abrange da Bahia de Samborodón ao Fortin Melingue, parte do atual território da província de Buenos Aires e pequeno trecho do Departamento de Colônia (Uruguai). Copiado por Joseph Maria Cabrer do original de Pedro Antonio Cervinõ de 1796. Indica os rios Salado, e Lujan; cidades, vilas, fortes e caminhos. Meridiano de origem: Buenos Aires. Relevo representado em forma pictórica. Duas folhas enteladas em uma folha.

23. [COSTA Sul da província de Buenos Aires]. [182-?]. 1 carta hidrográfica ms.; 1.17,5 x 71,5 cm. ARC. 001,03,018

A indicação do topônimo Costa Patagônica não corresponde com sua localização atual. Possui escala de latitude e longitude do meridiano de Cadiz. Inclui batimetria. Indica correntezas. Relevo representado em forma pictórica. Na lateral esquerda, manuscrito em azul: Costa Patagonica y puertos inmediatos. Oito partes enteladas em uma folha.

24. CURSO del rio Bermejo del Chaco, segun los itinerarios. [17—]. 1 mapa ms.: desenho a nanquim; 1,39 x 61 cm. ARC. 002,09,016

Indica o curso do rio Bermejo desde sua cabeceira (Bolívia) até sua foz no rio Paraguai, o rio Grande de Jujui e o Tarija. Contém as missões de San Bernardo de Vértiz e La Cangayé. Cinco partes enteladas em uma.

25. DESCALZI, Nicolas, 1801-1853 ou 7. Plano del rio Bermejo: desde su confluencia con el Negro en la Provincia de Salta hasta su desague en el Paraguay de la del proprio nombre... Buenos Aires: Litografia de Bacle y Ciª. , 1831. 1 mapa; 71 x 56 cm. ARC. 007,06,004

Indica caminho de Oran a Jujuy e as reduções de San Bernardo de Vértiz e La Cangaye. Ilustrado com costumes indígenas.Relevo e vegetação representados em forma pictórica. Litografado por J. F. Guerrin. Meridiano de origem: Buenos Aires. Encarte: Salto de Ysó e Paso de Lurbe. Entelado.

26. DIAS, L. P. Planta da cidade de Porto-Allegre: com a linha de trincheiras e fortificações que lhe tem servido de defesa desde o memoravel dia 15 de junho de 1836, com as.... Porto Alegre : Lith. Vr. Larée, 1839. 1 planta; 52 x 48,5 cm. em f. 79,5 x 52 cm. ARC. 007,05,012 ex.1

Descreve a ocupação da cidade de Porto Alegre pelos farroupilhas e a resistência do governo Regencial do Império do Brasil. Indica pontos de ataque dos rebeldes e defesa da cidade.Inclui legenda indicando ruas, becos, igrejas etc. Contém duas vistas panorâmicas na parte superior.Gravado por J. H. Leonhard. Escala gráfica de 250 braças [= 6cm]. Relevo e vegetação representados em forma pictórica. Inclui rosa-dos-ventos.A cartografia possui uma reprodução do século XX em ARC. 009,11,013. Entelado.

27. ESPINOSA Y TELLO, Josef, 1763-1815. Carta esferica de la parte interior de la America Meridional, para manifestar el camino que conduce desde Valparaiso a Buenos Aires: construida por las observaciones astronomicas que hicieron en estas parages en 1794 . [Madrid?]: [s.n.], 1810. 1 mapa; 53,5 x 81,5 cm em f. 64 x 92 cm. ARC. 007,14,020

Abrange as atuais cidades de Buenos Aires, Santa Fé, San Luis e Mendoza (Argentina), Santiago e Valparaíso (Chile). Meridiano de origem: Cadiz. Desenho de C. Noguera. Litografado por R. Esteve. Escala gráfica em léguas. Monograma da Real Armada na parte inferior direita do mapa. Relevo e vegetação representados em forma pictórica. Encarte: Plano del Paso de los Andes.

28. EXTENSION e situacion de los goviernos de Sta. Cruz de la Sierra, Matogroso, Cuyaba, y pueblos de los indios llamados los Chiquitos. 1789. Escala ca.1:4.700.000. 1 mapa ms. : desenho a nanquim; 34,4 x 44,5 cm. ARC. 004,06,017

Abrange o atual leste boliviano e a zona da fronteira entre Brasil e Bolívia, compreendida entre uma área atendida pela rede hidrográfica do Mamoré e uma outra pela rede hidrográfica do Alto Paraguai.Destaca as seguintes missões de Chiquitos espalhadas pelo atual leste boliviano: San Xavier, Concepcion, San Ignacio, San Miguel, San Rafael, Santa Ana, San Josef, San Juan, Santiago e Corazón de Jesus. A oeste, encontram-se indicados o caminho por terra de Santa Cruz de la Sierra ao Alto Peru e os afluentes do Mamoré, Piray e Rio Grande ou Guapay. De Santa Cruz de la Sierra é mostrado um caminho por terra até a Missão de San Xavier. Da estância de San Xavier é mostrado um caminho para o povoado de Mato Grosso, por onde se realizava o comércio clandestino entre portugueses e espanhóis. No caminho indicado entre os povoados de Mato Grosso e Cuiabá, há uma área em destaque intitulada “terreno inundado por el qual se navega de Cuyaba para Matogroso”, demonstrando o possível conhecimento do cartógrafo da inexistência da mítica lagoa de Xarayes. A leste, encontra-se indicada uma povoação portuguesa às margens de afluentes do Paraguai. Traz a localização de uma “Casa de los Negros Fugitibos de Matogroso”. Escala gráfica de 40 leguas espanholas [= 4cm]. Contém rosa-dos-ventos, flor-de-lis e marca-d’água.Vegetação e relevo representados
em forma pictórica.

29. FADEN, William, 1749-1836. Chart of the coasts of South America from rio de La Plata to Cape Horn, and from Cape Horn to Valparaiso, including the Isle of Juan Fernandes. London: W. Faden , 1821. 1 mapa; 109 x 80 cm. ARC. 029,02,018

Indica rotas.Inclui batimetria.Contém 14 vistas panorâmicas.Encartes: “Juan Fernandes; Road of Juan Fernandes; The North part of St. George’s Bay; Port St. Elena; Sketch of sea Bear Bay; Port St. Julian: Berkley sound; New year Harbour and islands; Harbour of goos Success; Bay Saint Francis; The labyrinth of Cordova”. Entelado.

30. GARAY, Juan de, 1528?-1583. Repartimiento de la traza de Buenos Aires. [Buenos Aires, Argentina] : Imprenta de la Independencia, [18—]. 1 planta: 52 x 65 cm. ARC. 034,02,033

Representa a segunda fundação de Buenos Aires em 1580 por Garay e a distribuição das terras em quadras com o nome do donatário. Contém texto sobre a fundação da cidade. Na parte inferior do mapa está escrito: Por exido del Puerto y Servicio del Puerto... Cópia do original conforme consta no próprio mapa: “Es copia del original que quedó en el Archivo de Cabildo y que extinguido este,
pasó al Archivo de la provincia.” Planta com cercadura. Entelado.

31. GAVINO ARIAS, Francisco, 1752-1808. Mapa formado con motivo de la Reducional Expedicion del año de 1780 practicada al Chaco por el Coronl. Dn. Fran cisco Gavino Arias, de orden del Excelentisimo Señor Dn. Juan Jose de Vertiz... [ca.1780]. 1 mapa ms.: desenho a nanquim, aquarelado; 32,2 x 47,7 cm em f. 37 x 52 cm. ARC. 025,04,010

Abrange parte dos atuais territórios de Argentina e Paraguai: na Argentina, as cidades de Santiago del Estero, San Miguel de Tucumán, Salta, Jujuy e Corrientes, e no Paraguai, a cidade de Assunção.Indica os rios Paraná, Paraguai, Pilcomayo, Vermelho e Salado; localização dos índios mocobies, tobas, chunupies, malba - laes e signipes, com reduções estabelecidas para os dois primeiros povos; fortes, e caminho de Corrientes a Salta. Relevo e vegetação representados em forma pictórica. Inclui rosa-dos-ventos com flor-de-lis. Possui marca d’água: flor-de-lis dentro de um brasão. Provavelmente faz parte da obra: “Diario de la expedición reduccional del año de 1780”. Entelado.

32. HAENKE, Tadeás, 1761-1817. Partidos de la nueba yntendencia de Santa Cruz de la Sierra |b proyetada por el Sõr Gobernador Yntendente Dn. Francisco de Viedma. [17—]. 1 mapa ms. : desenho a nanquim, aquarelado; 47,8 x 57,2 cm em f. 53 x 62,5 cm. ARC. 009,14,004

Abrange os atuais Departamentos de La Paz, Santa Cruz, Beni e Cochabamba .Indica as reduções jesuítas dos índios mojos, chiquitos, chiriguanos e yuracare, o Forte Príncipe da Beira, os rio Mamoré, Itenez ou Guaporé, Beni, e o rio Grande, também chamado Guapay. Vegetação representada em forma pictórica.

33. LARRAMENDI. Mapa de la Jurisdiccion de Salta. [17—]. 1 mapa ms. : desenho a nanquim; 40,8 x 34 cm em f. 42,28 x 37 cm. ARC. 009,15,004

Mostra caminhos entre a jurisdição de Salta até seus limites com as províncias de: Jujuy, Chaco, Formosa, Santiago del Estero, Catamarca e Tucumán (Argentina); como também, caminhos para a Bolívia e a Cordilheira dos Andes, até o limite com o Chile.No catálogo de Pedro De Angelis “Coleccion de obras impresas y manuscritas...” aparece impresso o nome do autor como Laramendi. Con tém rosa-dos-ventos com flor-de-lis.Cartucho do título ilustrado com uma árvore e uma onça.Relevo representado em forma pictórica. Escala gráfica em tronco de léguas [= 6,5cm].

34. LE BOURGUIGNON-DUPERRÉ, G. Plan de la rade de Maldonado, dans le rio de La Plata, levé en 1831. [Paris, França] : De?pot Ge?ne?ral de la Marine, 1833. 1 mapa; 70cm. x 120 cm. ARC. 024,05,005

Inclui batimetria. Gravado em metal.Escala de 3 milhas marinhas [= 22cm]. Entelado.

35. [MAPA da Costa Sul da América Meridional]. [17—]. 1 mapa mss.; 66,6 x 68,5 cm. ARC. 024,01,005

Abrange do golfo de San Jorge ao rio Gallego na parte Argentina e da baía Salvación ao cabo Taitao, no Chile. Indica topônimos ao longo de toda a costa. Possui marca-d’água. Provavelmente faltam partes e adquirido da Coleção Pedro De Angelis em 1853.

36. [MAPA da parte setentrional do Gran Chaco destacando os rios Pilcomayo e Vermejo]. [17—]. 1 mapa ms. : desenho a tinta ferrogálica, aquarelado; 39,2 x 34 cm em f. 42,5 x 37,5 cm. ARC. 025,02,005

Abrange parte dos atuais territórios de Argentina, Bolívia e Paraguai.Destaca os rios Pilcomayo e Vermelho. Indica as cidades argentinas de Oran, Jujuy, Salta e Corrientes; as bolivianas de Cinti e Tarija e Assunção, no Paraguai; as aldeias dos índios chiriguanos, mataguayos, matacos, chaneses, vejoses e moconitas. Meri diano de origem: Buenos Aires. Relevo e vegetação representados em forma pictórica.

37. [MAPA das Missões de Mojos e Chiquitos]. [17—]. 1 mapa ms.: desenho a tinta ferrogálica. 47,2 x 35,2 cm. ARC. 009,15,007

Indica caminho de Santa Cruz a Concepción, passando por San Xavier; os rios Mamoré, Beni e Itonamas e os índios baures, itonamas, guaraios e chiriguanos. Entelado.

38. [MAPA das missões de Mojos e Chiquitos]. [17—]. 1 mapa ms.: desenho a tinta ferrogálica; 31,5 x 33 cm. ARC. 025,04,017

Abrange a região da atual fronteira boliviana com os estados brasileiros de Mato Grosso e Rondônia. Mostra as missões de Mojos, ao longo do Mamoré, e as de Chi quitos, situadas no atual leste boliviano, entre as redes hidrográficas do Mamoré e do Alto Paraguai.Indica as cidades de La Paz, Cochabamba, Chuquisaca (atual Sucre), Santa Cruz de la Sierra (Bolívia) e Mato Grosso (Brasil) e os rios Madeira, Mamoré e Itenez ou Guaporé e seus afluentes.Relevo representado em forma pictórica. Possui rosa-dos-ventos com flor-de-lis. Entelado.

39. MAPA de las Missiones de Chiquitos y sus contornos. [17—]. 1 mapa ms.: desenho a nanquim; 32 x 53 cm. ARC. 030,01,003

Abrange quase toda a Bolívia (exceto parte norte e oeste), as regiões do Pantanal Mato-grossense e do Chaco. Indica o caminho da Província do Paraguai às Missões de Chiquitos, através do rio Paraguai; os índios baure, guarayo, tapacura, puizoca, morotoco, zamuco, toba e guaycuru. Inclui escala de latitudes entre S 13° e S 22°, na margem esquerda. Contém uma marca-d’água, mostrando dois círculos encimados por uma oval, com uma cruz central, a oval traz a coroa do reino, sustentando em cada lado um dragão ou um leão. Publicado nos Anais da Biblioteca Nacional v. 118.

40. [MAPA de los Obispados de Guamanca, Cuzco, La Paz e Arcebispado de Chuquisaca]. [17—]. 1 mapa ms. : desenho a nanquim, aquarelado; 40,8 x 97,4 cm em f. 43,3 x 101,5 cm. ARC. 025,01,030

Abrange províncias do Peru, da Bolívia e a província de Tarapacá, no Chile. Contém, nas montanhas dos Andes, as nascentes dos rios Grande, pertencente à rede hidrográfica do Mamoré, e Pilcomayo, pertencente à rede hidrográfica do Paraguai. À esquerda, indica tributários do Marañon. Mostra o lago Chucuito ou lago Titicaca, o maior lago navegável do mundo, situado a mais de 3.000 metros
de altitude e que remonta à História Pré-Colombiana da civilização inca. Indica as cidades de Lima, Cuzco, La paz, a Villa Imperial de Potosí, atual Potosí, Mizque e Chuquisaca, atual Sucre e Arica. Relevo e vegetação representados em forma pictórica. Contém rosa-dos-ventos com flor-de-lis e dois cartuchos em branco. No verso está escrito: Carta del mar...

41. MAPA maritimo del Estrecho de Magallanes: copiado, reducido, y acrecentado del que trahe la historia del viage de Byron empezada en Julio de 1764. [1766?]. 1 mapa ms.: desenho a nanquim, aquarelado; 70,3 x 99,8 cm em f. 73,9 x 104,3 cm. ARC. 029,04,010

Mostra ilhas, penínsulas, baías e rios da região do Estreito de Magalhães em toda sua extensão, do cabo Virgines (cabo de la Virgem Maria) ao cabo Pilar.Elaborado após a viagem de circunavegação do militar inglês John Byron. Indica a localização da Ciudad de San Felipe, fundada por Sarmiento de Gamboa e que, assolada pela fome, foi chamada Puerto de Hambre. Contém a Ilha de los Estados e o Estreito del Mare. Relevo representado em forma pictórica. Contém rosa-dosventos e batimetria.

42. MAPA topografico de la costa comprehendida entre el Cabo de Sn. Antonio del Rio de la Plata y el Estrecho de Magallanes: y planos particulares de los puertos de la misma costa con sus latitudes, y sondas, segun las ultimas viages, y observaciones. [17—]. 1 mapa ms.: desenho a tinta, aquarelado; 59,8 x 41,7 cm em f. 85,9 x 45,7 cm. ARC.009,14,013

Abrange todo o litoral argentino, do rio da Prata ao estreito de Magalhães. Mostra os rios Colorado, Negro e Gallegos, além de baías, cabos, ilhas e enseadas da costa argentina. Encartes: I) Demonstracion de la Bahia de Sta. Elena; II) Demonstracion de la Bahia de Camarones; III) Plano de la Bahia de S. Gregorio; IV) Plano del Puerto deseado; V) Plano del Puerto de Sn. Julian, todos encartes com batimetria e flor-de-lis. Escala de 40 léguas ou 2 graus [= 6cm]. Contém rosa-dos-ventos com flor-de-lis. Entelado.

43. MAPA topográfico del rio de la Plata e Gran Chaco en el qual se designa sitio oportuno para estavlezer una colonia y treinta fuertes como el que se demuestra F para cuvrir y defender la navegazion del rio Vermejo y camino para el Peru por el zentro del Chaco. [17—?]. 1 mapa ms. : desenho a tinta ferrogálica, aquarelado; 69,5 x 48 cm em f. 74 x 51,5 cm. ARC. 023,04,007

Abrange a região do Gran Chaco, nos atuais territórios de Argentina e Paraguai, incluindo parte dos territórios de Bolívia e Uruguai. Indica as cidades de Buenos Aires, Córdoba, Santiago del Estero, Corrientes, Santa Fé, San Miguel de Tucumán, Salta, Jujuy, Tarija, Montevidéu e Assunção; povoados, vilas, reduções jesuíticas e caminhos; os rios da Prata, Paraná, Uruguai, Paraguai, Salado, Vermelho e Pilcomayo. Possui rosa-dos-ventos com flor-de-lis. Relevo representado em forma pictórica.Escala gráfica de 60 léguas castelhanas. [= 13cm]. Encarte: “Colonia proyectada en la margem del rio Vermejo entre las reduciones Dolores el Verniz y la laguna Perlas”. Entelado.

44. NUEBA Descripcion de las Yslas Malvinas, ultimamente enmendadas, y arregladas al Meridiano de Thenerife el año de 1770. 1 mapa ms. : desenho a nanquim; 58,0 x 72,5 cm. ARC. 009,14,009

Indica topônimos. Contém batimetria e flor-de-lis. Relevo representado em forma pictórica.

45. [PARTE interior de la América Meridional, con el curso de los principales confluentes del Rio Marañon...]. [1777]. 1 mapa ms : desenho a tinta nanquim ; 55 x 95 cm em f. 75 x 103 cm. ARC. 019,07,020

Abrange extensa área da América do Sul, incluindo parte dos atuais territórios do Brasil, Bolívia, Peru, Equador e Colômbia. Indica a região do vale do Amazonas, disputada por portugueses e espanhóis até a definição de limites no século XVIII. Mostra vários afluentes do rio Amazonas. Apresenta as cidades de Lima, Guaiaquil, Trujilo, dentre várias outras vilas e cidades do vice-reino do Peru. Na área do rio Javari, atual limite entre Brasil e Peru, lê-se a inscrição: “Terra de Missiones”. Título retirado do catálogo Coleccion de Obras Impresas y Manuscritas.../ Pedro De Angelis. No verso da folha, lê-se a seguinte inscrição: “Demarcacion Gobierno”. Pedro De Angelis atribui sua autoria a demarcadores de limites espanhóis e identifica o ano de 1777, ano do Tratado de Santo Ildefonso, como o de sua produção. Indica caminhos. Relevo representado em forma pictórica. Duas folhas entelada em uma.

46. PICO, Pedro. Carta geográfica de la provincia de Entre Rios. [Montevidéu, Uruguai]: Litog. de Mege y Lebas, 1845. 1 planta: litografada; 65,5 x 46,5 cm em f. 75 x 56 cm. ARC. 007,15,012

Indica caminhos. Assinatura de Pedro Pico. Vegetação representada em forma pictórica. Duas folhas coladas.

47. PICO, Pedro. Plano topográfico de la ciudad y cercanias de Montevideo: en el que se demuestra las posiciones de las fuerzas de la plaza y las del ejército sitiador. [Montevidéu, Uruguai]: Litog. de Mege y Lebas, 1846. 1 mapa: 50,5 x 50 cm em f. 44,5 x 53 cm. ARC. 007,03,015

Indica as linhas de defesa do exército organizado por Oribe, que apoiado por Rosas, da Argentina, sitiou Montevidéu entre 1843 e 1851. Este cerco ficou conhecido pelo nome de “Sitio Grande”. Escala gráfica de 3.000 varas uruguaias [= 12,5cm], uma vara igual a 860 milímetros franceses. Indica as linhas avançadas das tropas uruguaias e inimigas. Vegetação representada em forma pictórica e
relevo em hachura. Litografado por J. B. Lebas, i. e., G. B. Lebas. Entelado.

48. PICO, Pedro. Plano topográfico del departamento de Montevideo : construido en diciembre del año de 1843. [Montevideo]: Lith. del Estado, 1843. 1 mapa; 62 x 91 cm. ARC. 003,03,008

Indica as linhas de defesa do exército organizado por Oribe que, apoiado por Rosas, da Argentina, sitiou Montevidéu entre 1843 e 1851, no episódio conhecido como “Sitio Grande”. Escala gráfica de 1 légua a 6.000 varas. Entelado. 49. PLAN de Cuiabá Matogroso, y pueblos de los Indios Chiquitos, y Santa Cruz : Sacado por orñ. de el Señor Govern. D. Tomas de Lezo. [ca.1778]. 1 mapa ms.: desenho a tinta ferrogálica; 26,5 x 43 cm. . ARC. 023,09,001

Abrange os atuais estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, e parte da Bolívia. Indica a região de Xarayes (no atual Pantanal), as cidades de Cuiabá e Santa Cruz, o curso dos rios Porrudos (atual São Lourenço), Paraguai, Mamoré, Madeira; missões de Chiquitos, Moxos (Mojos) e caminhos. Destaca alguns aldeamentos indígenas e algumas minas. Perto das Missões de Chiquitos, menciona lugar onde
se localizam as casas dos negros fugitivos de Mato Grosso. Relevo representado em forma pictórica. Contém rosa-dos-ventos e flor-de-lis. Escala gráfica de 40 léguas espanholas [= 4,5cm]. Entelado.

50. PLAN de Cuyaba, Mato Grosso y pueblos de los yndyos Chyquytos y S. Cruz : Sacado por orñ. de el sor. Govor. D. Tomas de Lezo. [ca.1778]. 1 mapa ms.: desenho a tinta ferrogálica; 27 x 42,5 cm. ARC. 023,06,016

Abrange os atuais estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e parte da Bolívia. Indica a região de Xarayes (no atual Pantanal), as cidades de Cuiabá e Santa Cruz, o curso dos rios Porrudos (atual São Lourenço), Paraguai, Madeira e Mamoré; missões de Chiquitos, Moxos (Mojos) e caminhos. Destaca alguns aldeamentos indígenas e algumas minas. Perto das Missões de Chiquitos, menciona lugar onde se localizam as casas dos negros fugitivos de Mato Grosso. Relevo representado em forma pictórica. Contém rosa-dos-ventos e flor-delis. Escala gráfica de 40 léguas espanholas [= 4,5cm]. Entelado.Existem dois esboços deste mapa manus crito finalizado; um no ARC. 004,07,003, e o outro no ARC .023,09,001.

51. PLANO de Cuíava, Mato Grosso y Pueblos de los Indios Chiquitos y Santa Cruz : sacado por õrn. de el Señor Governador D. Tomas de Lezo. 1778. 1 mapa ms.: desenho a tinta ferrogálica; 34,5 x 49cm. ARC. 004,07,003

Abrange os atuais estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e parte da Bolívia. Indica a região de Xarayes (no atual Pantanal), as cidades de Cuiabá e Santa Cruz de la Sierra, o curso dos rios Porrudos (atual São Lourenço), Paraguai, Madeira, Mamoré; missões de Chiquitos, Moxos (Mojos) e caminhos. Destaca alguns aldeamentos indígenas e algumas minas. Perto das Missões de Chiquitos há indicação das casas dos negros fugitivos de Mato Grosso. Relevo representado em forma pictórica. Contém flor-de-lis.Escala gráfica de 40 léguas espanholas [= 4,5cm]. Entelado. Esboço do mapa manuscrito final, que está localizado no ARC. 023,06,016. Existe um outro esboço em ARC. 023,09,001.

52. PLANO de la Bahia de Todos os Santos situada en la orla meridional del Brasil. [18—?]. 1 mapa ms.; 46 x 55 cm. ARC. 004,04,012

Indica a cidade de Salvador, ilha de Itaparica e arredores da Bahia de Todos os Santos. Contém o Forte do Monserrate (Nossa Senhora de Monte Serrat), Forte do Mar ou São Marcelo, e o Forte de S. Antônio.Inclui batimetria.Cópia eletrostática em ARC. 004,04,012A. Entelado. Truncado.

53. PLANO de la Ciudad de Salta : Capital de su prov[inci]a fundada el dia 17 de abril del año 1582 por Hernando de Lerma entre los rios de Siancas y Sauces à los 24° 30, de latitud, 8° 16, de longitud occidental de Buenos-aires. Se erigio en obispado en 1800. 1817. 1 planta ms. : desenho a nanquim, aquarelado; 37,5 x 25cm. em f. 48,2 x 32,8 cm. ARC. 023,06,021

Marca o lugar onde Manuel Belgrano venceu a batalha contra o exército que estava em favor do absolutismo espanhol, em 1813, onde está escrito “Campo de Honra pela vitória conseguida sobre el extmo realista por el general DN. Manuel Belgrano el 20 de fevereiro de 1813”. Indica alguns lugares como: Catedral Basílica, destruída por incêndio, reconstruída em 1858 e declarada monumento histórico nacional em 1947; Convento de La Merced, igreja gótica; Convento de San Francisco, originário desde a fundação da cidade, onde se começou a construção do templo e convento, concluído em 1625, e com várias reformas; Hospital de Betlemitas, aberto como Hospital San Andrés, sob a direção dos betlemitas; Capilla de la Viña; Casa Colonial de Saraiva, atual Casa Castañares. Indica caminhos. Vegetação representada de forma pictórica.

54. Plano de la darsena, y establecimtº en el puerto de la Soledad de las Islas Malvinas: Lebantado por un piloto de la R[ea]l Armada, en el ano de 1785. [1785?]. 1 mapa ms.: desenho a nanquim; 56,3 x 39cm em f. 61,8 x 44,4cm. ARC. 009,15,006

O mapa indica edificações representadas de forma pictórica. Escala gráfica de 60 toesas [= 21cm]. Possui flor-de-lis. Contém batimetria. Entelado.

55. PLANO de la ensenada de Barragan: situada en la costa meridional del Rio de la Plata levantado por los Oficiales de la Demarcacion de Limites Española para mayor inteligencia de sus reconocimientos. [18—]. 1 mapa ms. : col., desenho a nanquim; 27 x 36 cm em f. 31 x 41 cm.. ARC. 023,06,023

A enseada de Barragán localiza-se sobre o rio De la Plata, província de Buenos Aires, lugar escolhido como porto principal da província. Escala gráfica de uma milha marítima [= 5,5cm]. Inclui batimetria. Contém flor-de-lis. Possui marcad’água. Vegetação representada em forma pictórica. Entelado. A Cartografia possui outro mapa manuscrito com mesmo título e data, porém com dimensões
diferentes em ARC .009,15,011.

56. PLANO de la Ensenada de Barragán: situada en la costa meridional del Rio de la Plata levantado por los oficiales de la demarcasion de limites para mayor inteligencia de sus reconocim[mien]tos. [18—]. 1 mapa ms.: desenho a nanquim; 46,5 x 64 cm. ARC. 009,15,011

A enseada de Barragán localiza-se sobre o Rio de La Plata, província de Buenos Aires, lugar escolhido como porto principal da província. Escala gráfica de 1 milha [= 9,5cm]. Inclui batimetria. Contém flor-de-lis. Possui marca d’água nas três folhas.Vegetação representada em forma pictórica. Entelado em três folhas. A Cartografia possui outro mapa manuscrito com mesmo título e data, porém com dimensões diferentes em ARC. 023,06,023.

57. PLANO de la ensenada de Barragán: Situado en la costa del sur del Rio de La Plata y en lat. sur de 34 grs. 52 ms. nuevamente levantado en el año de 1769. 1769. 1 planta ms.: desenho a nanquim, aquarelado; 41,5 x 29,5 cm em f. 43,5 x 31,6 cm. ARC. 023,06,024

A enseada de Barragán localiza-se sobre o Rio de La Plata, província de Buenos Aires, lugar escolhido como porto principa da província. Escala gráfica de uma légua marítima [= 14cm]. Inclui batimetria. Contém rosa-dos-ventos e flor-de-lis. Entelado.

58. PLANO de la parte septententrional del Golfo de Sn Jorge : nuebamente reconocido y levantado por los pilot[o]s de la expedicion del mando del superintenden]te interino Dn. Antonio Viedma... 1780. 1 mapa ms.: desenho a nanquim; 55,0 x 81,0 cm em f. 59 x 85 cm. ARC. 009,14,012

Indica da baía Camarones a Punta de Tafor. Inclui notas sobre o aspecto físico da costa do golfo de San Jorge. Inclui batimetria com medições em pés ingleses. Entelado. Possui assinatura não identificada.

59. PLANO de las Yslas Malvinas. [17—]. 1 mapa ms.: desenho a nanquim, aquarelado; 50,5 x 35,8 cm em f. 54,4 x 40 cm. ARC. 009,15,014

Indica topônimos como: Estreito de San Carlos, Cabo Leal, Islas los Salvages, Isla del Rosario, etc. Contém rosa-dos-ventos. Entelado.

60. PLANO de una parte del Estrecho de Magallan, y de las islas Malvinas, sacado por las observaciones de Mon[senhor] Thisbé de Bellecourf, capitan reformado de infanteria. [176-]. 1 carta hidrográfica ms. : desenho a nanquim, aquarelado; 35,5 x 89 cm em f. 50 x 91,5 cm. ARC. 023, 04,009 Meridiano de origem: Paris. Contém flor-de-lis e marca-d’água: dentro de uma cerca alegoria feminina com um leão, tendo na parte superior a inscrição “Pro Patria”. Entelado.

61. PLANO del puerto Arredondo en el golfo de S. Jorge. 1795. 1 carta hidrográfica ms.: desenho a nanquim; 41 x 25,2cm. ARC. 023,06,026

Inclui batimetria. Escala gráfica de 1/2 milha marítima [= 7,8cm]. Meridiano de origem: Cadiz. Possui flor-de-lis e marca d’água.

62. PLANO del puerto de Cordova: situado en el golfo de S.Jorge en la latitude de 45° 45’ 30’’ y en la long[itude] de 61° 19’ 00’’ occidental del meridiano de Cadiz. 1795. 1 planta ms.: desenho a nanquim; 40,3 x 25,3cm em f. 43,3 x 28,3cm. ARC. 009,15,001

Este porto, considerado de menor importância, está situado no golfo São Jorge entre as pontas Novales e Pando. Inclui escala de 1 milha marítima [= 7,5cm]. Contém flor-de-lis e batimetria. Entelado.

63. PLANO del puerto de Maldonado: su latitud S. de 34°-96’-40’’ longitud 48°-49-30 occidental de Cadiz, levantado por ordem do Exmo Sor Virrey: ano de 1796. 1796. 1 planta ms. em duas seções: desenho a nanquim e lápis; 37 x 87cm. ARC.023,01,013

Abrange de Punta de la Ballena até Punta del Este.Meridiano de origem: Cadiz. Escala de uma milha [= 14,3cm]. Entelado.

64. PLANO del puerto de Melo en la parte norte del Golfo de Sn. Jorge : trabajado abordo del fatucho Sn. Antonio y de la lancha de la corveta descubierta a las ordenes del capitan de fragata Dn. Juan Gutierrez de la Concha año de 1795. [ca.1795]. 2 mapas em 1 f. : gravado em metal ; 26,5 x 40,5cm em f. 62,5 x 47,5cm. ARC.007,15,010

Indica detalhes do recorte litorâneo e ilhas.Latitude sul 45°30’00’’ e longitude ocidental de Cadiz 59°45’00’’. Gravado por B. Vazquez. Juan Gutiérrez de la Con cha participou da expedição científica de Alejandro Malaespina de 1789 a 1794. Contém flor-de-lis. Inclui batimetria. Meridiano de origem: Cadiz. Escala gráfica de 1 milha marítima [= 7cm]. Relevo representado em forma pictórica. Com: Plano del puerto de Sta. Elena...1795. Entelado.

65. PLANO del Puerto de Sn. Antonio à la Entrada del Golfo de Sn. Jorge. 1795. 1 carta hidrográfica ms. : desenho a tinta nanquim ; 35,5 x 39,5cm em f. 37,5x 43cm. ARC.023,06,027

Abrange pequena área do extremo norte do Golfo de San Jorge, Argentina.Contém flor-de-lis.Inclui batimetria.Meridiano de origem: Cadiz.Escala gráfica de 1/2 milha [= 7,5cm]. Possui marca-d’água: brasão.

66. PLANO del Puerto de Sn. Gregorio situado en la Costa Patagonica en la latitd S. de 49º 4’ y en la longitud de 31º 54’ merid[ian]o de Tenerife / nuebamte. Reconocido y enmendado pr. los pilotos de la expedon. del mando del superintendte. interino Dn. Anto. Viedma año... 1780. 1 mapa ms. ; 47 x 65cm. ARC.023,02,008 Escala gráfica de 2 milhas [= 6cm]. Possui batimetria e flor-de-lis. Meridiano de origem: Tenerife. Entelado.

67. PLANO del Puerto de Sn. Julian: situado en la costa Patagônica en la latitud s[u]r de 49°-21’ y en la longitud de 31° merid[ian]o de Tenerife. / |c nuebamente levantado y enmendado por los pilotos de la exped[ci]on a mando del superintend[en]te interino, Dn Antonio Viedma. 1780. 1 mapa ms. : desenho a nanquim; 60,7 x 43cm em f. 65 x 46,6cm. ARC. 009,15,009

Representa o período em que Antonio Viedma esteve fazendo levantamento do Porto de San Julian, por ordem da Coroa Espanhola.O nome da Baía de San Julian foi dado por Fernando Magalhães, quando nela chegou em 31 de março de 1520, e onde foi rezada a primeira missa na Argentina. Contém batimetria. Escala gráfica de 3 milhas [= 14cm].

68. PLANO del puerto de Sta. Elena en la Costa Patagônica: trabajado abordo de las Corvetas Descubiertas y Atrevida de la Marina Real año 1794. [ca.1795]. 2 mapas em em 1 f. gravado em metal; 28,5 x 40,5cm em f. 62,5 x 47,5cm. ARC. 007,15,010

Indica detalhes do recorte litorâneo. Latitude sul 44°29’4” e longitude ocidental de Cadiz 59°10’15’’. Inclui batimetria. Contém flor-de-lis. Relevo representado em forma pictórica. Escala gráfica de 1 milha marítima [= 8cm]. Com: Plano del Puerto de Melo... 1795.Encarte: Vista panorâmica da entrada del Pto. de Sta. Elena. Coleccion de obras impresas y manuscritas.../ Pedro De Angelis. p.228.
Entelado. Gravado por B. Vazquez.

69. PLANO del Puerto de Sta. Elena y cala de San Sebastian: situado en la costa patagonica en la lat° s. 44°33’ y la long° de 31°55’ nuebam.te reconocido y enmendado p.r los pilotos de la [expedicion?] del mando del superintend.te interiono Dn. Antonio Bicoma ano de 1780. 1 planta ms.: desenho a nanquim; 44,3 x 29,7cm emf 47,4 x 31,5cm. ARC. 009,15,002

Inclui Batimetria.Contém flor-de-lis.Escala gráfica de 2 milhas [= 4cm]. Entelado.

70. PLANO del Puerto deseado en la costa patagonica: situado en la latd. s. de 47°-48’ y en la longitd. de 31°-45’ meridiano de Tenerife / nuebamte levantado y enmendado pr. los pilotos de la Expedicion del mando del superintendte. interno Dn. Antonio Viedma ... 1780. 1 mapa ms.: desenho a nanquim; 41 x 59cm em f. 46,5 x 66cm. ARC. 009,15,010

Mostra detalhes de pequeno trecho da costa da atual província de Santa Cruz, na Argentina. Contém flor-de-lis. Meridiano de origem: Tenerife. Inclui batimetria com medições em pés ingleses. Coleção Pedro De Angelis. Entelado.

71. PLANO del Tucuman: los Edificios de este pueblo se han demarcado con el color rojo... [ca.1831]. 1 planta ms.: aquarelado, desenho a nanquim; 72,5 x 52,3 cm em folha 79,5 x 60,5 cm. ARC. 023,03,010

Indica o sistema de irrigação, edifícios públicos e privados, a Câmara, as igrejas da Matriz (atualmente catedral), de San Francisco (outrora pertencente aos jesuítas), das Mercês (fundada em 1685, demolida em 1943 e reconstruída em 1950) e a de Santo Domingo; o Curral da Independência (lugar onde o Congresso se instalou em 1816) e um forte.Inclui rosa-dos-ventos com a representação do Sol, localizada na praça principal. Entelado.

72. PLANO en grande y su detalle del fuerte proyectado para defensa de la isla de Maldonado. [17—]. 1 planta ms. : desenho a tinta; 34 X 44,7cm. ARC. 024,03,009

Ilha de Maldonado corresponde a atual ilha Gorriti. Contém um plano de uma bateria para nove canhões com escala gráfica de 40 varas castelhanas [=7 cm]. Escala gráfica de 80 varas castelhanas [= 7,7cm]. Entelado.

73. PLANO General de las Montañas Orientales al Reyno del Peru pertenecientes à la Corona de España y confines de Portugal...: formados sobre los reconocimientos que verifico el Rdo. Pe. Fr. Joaquin Soler. [ca.1790]. 1 mapa ms. : desenho a nanquim e tinta ferrogálica, aquarelado; 52,3 x 71,8cm. ARC. 009,13,002

Abrange parte do noroeste da América do Sul em extensa área que inclui os atuais territórios do Peru, Bolívia e dos estados brasileiros do Amazonas, Rondônia, Mato Grosso e Acre.São indicadas várias vilas espanholas do Vice-Reino do Peru.Traz um longo texto no qual está descrita a geografia setecentista de quatro grandes afluentes do rio Amazonas e/ou Marañon: Madeira, Javari, Ucayali e
Huallaga.Ao sul, mostra as missões de Mojos e de Chiquitos, situadas no atual leste boliviano entre a rede hidrográfica do Mamoré e a do Alto Paraguai. Traz um tracejado roxo que deveria ser, segundo o autor, o limite entre as possessões portuguesas e espanholas.Inclui rosa-dos-ventos com flor-de-lis. Relevo representado em forma pictórica.

74. PLANO que contiene los terrenos que se hallan entre la boca del rio Negro de la costa Patagonica, y Bahia de Todos Santos : levantado ultimamente en varios reconocimientos que hizo y mando hacer el comandante que se halla en la fortaleza Nra. S. del Carmen. 1797. 1 mapa ms.: desenho a nanquim; 52 x 64 cm. ARC. 025,02,002

Abrange a Costa Sul da atual província de Buenos Aires. Destaca a foz do rio Negro. Duas folhas enteladas em uma.

75. PLANO que se há formado con motivo de la expedicion fluvial que há practicado el coronel Don Juan Adrian Fernandez Cornejo descubriendo la navegacion del rio Bermejo: que fluido de las sierras del Peru, corre, y traspasa la provincia del Gran Chaco, hasta internase en el rio Paraguay... 1790. 1 mapa ms.: desenho a nanquim, aquarelado; 66,6 x 46,4cm em f. 73 x 52,7cm. ARC. 009,13,007

O mapa abrange ao norte as Missões de Chiquitos (Bolívia) até o sul, o rio Salado; do lado oeste a Cordilheira dos Andes até o lado leste o rio Paraguai e o Pantanal Mato-Grossense (antiga lagoa dos Xarayes). O motivo da expedição era comprovar a possibilidade de comunicação fluvial para o comércio entre as cidades de Corrientes, Santa Fé e Buenos Aires. Provavelmente faz parte da obra: Expedición al Chaco, por el río Bermejo, ejecutada por el coronel Adrián Fernández Cornejo”. Indica missões, fortes e caminhos. Contém rosa-dos-ventos. Escala gráfica de 100 léguas espanholas [= 9cm]. Relevo e vegetação representados em forma pictórica.

76. PLANO topografico de la ciudad de Cordoba del Tucumán: fundada el dia seis de Julio de mil quinientos setenta y tres por Dn. Geronimo Luis de Cabrera. 1802. 1 planta ms.: aquarelado, desenho a nanquim ; 36,8 x 50,6cm em f. 38 x 52,5cm. ARC. 009,15,012

Contém edifícios coloniais, como a Catedral, situada na Plaza Mayor, atual Plaza de San Martín, as Igrejas de Santo Domingo e a da Companhia de Jesus. Indica antigos acessos à cidade.Rio Primero, relevo e vegetação representados de forma pictórica. Possui rosa-dos-ventos com flor-de-lis. Entelado.

77. PLANO topografico de la Ciudad de Mendoza: fundada a fines del año de 1560 de orden de Dn. Garcia Hurtado de Mendoza, Marquês de Cañete, y presidente del Reyno de Chile, de resultas de haber terminado en dicho año, con la batalla de... [18—]. 1 planta ms: desenho a nanquim, aquarelado; 42,5 x 53,6 cm em f. 46 x 59,6 cm. ARC. 009,14,008

Representa a cidade de Mendoza, anterior ao terremoto de 1861.A Igreja de São Francisco, indicada na planta, tem suas ruínas conservadas até hoje. Vegetação representada em forma pictórica. Entelado.

78. PLANO topografico de las calles de la ciudad de Buenos-Aires, de los templos, plaza y, edificios públicos. B[uenos] Aires [Argentina]: Bacle y Cia. Impressores Litograficos del Estado, [183-]. 1 planta; 32 x 42 cm em f. 39 x 47 cm. ARC. 003,04,002

Vista panorâmica na parte inferior do mapa e brasão da Argentina na parte superior. Litografado. Contém rosa-dos-ventos. Vegetação representada de forma pictórica. Entelado.

79. PLANO y descripcion del puerto ô bahia de Sn. Josef : nuevamente descubierto por los pilotos de la expedicion del mando del Sor. Super yntendente Dn. Juan de la Piedra en la costa oriental patagônica... 1779. 1 mapa ms.: desenho a tinta ferrogálica, aquarelado; 27 x 45 cm em f. 29 x 48 cm. ARC. 023,06,022

Mostra a localização dos primeiros alojamentos da expedição e a batimetria da baía. Contém rosa-dos-ventos com flor-de-lis e cartucho ornamentado. Meridiano de origem: Tenerife. Escala gráfica de 3 léguas [= 4,5cm]. Vegetação representada em forma pictórica. Entelado.

80. PRIMER plano de varios puertos del Estrecho de Magallanes, levantados el año de 1786. - [s.l.]: [s.n.], [1786?]. 1 mapa ; 48 x 69cm em f. 52 x 73cm. ARC. 007,04,009

Faz parte da obra “Relación del último viage al Estrecho de Magallanes de la fragata de S.M. Santa María de la Cabeza en los años de 1785 y 1786”, localizada em: AT.027,02,063 n.01. Os portos indicados localizam-se no Chile. Meridiano de origem: Cadiz.Contém batimetria. Gravado por: Joaquim Pró. Possui flor-de-lis. Entelado. Conteúdo: Bahia de San Nicola, escala gráfica 1/2
milha [= 4cm]; Tres Bahias del Estrecho, escala gráfica 1/2 milha [= 4,5cm]; Bahia de Valcarcel, escala gráfica 600 varas [= 4cm]; Puerto de la Hambre, escala gráfica 600 varas [= 4cm]; Puerto de San Miguel y Bahia de Gaston, escala gráfica 1/2 milha [= 5,5cm]; Puerto de San Antonio y Bahia Valdés, esca la gráfica 1 milha [= 7,5cm].

81. [PROVINCIA de Buenos Aires]. [18—]. 1 mapa ms.: desenho a nanquim; 54,5 x 66 cm. ARC.024,01,011

Indica o caminho aonde chegou o padre Joseph Cardiel e o rio Salgado.Relevo representado em forma pictórica.Mostra caminho para o interior. Contém marca-d’água. Duas folhas coladas.

82. REGISTRO grafico de los terrenos de propriedad pública y particular de la Provincia de Buenos Aires / construido por el Departamento Topografico segun las mensuras judiciales que se han practicado y extractado hasta la fecha. Arenales [Argentina]: Litografia del Estado, 1833. 1 planta ; 91 x 65 cm. ARC.007,10,009

Abrange da região de DoloreS até Tigre (Las Conchas). Indica caminhos e topônimos. Cartela de título e topônimos impressos de cabeça para baixo. A BN possui quatro folhas montadas numa tela, originalmente em seis folhas. Litografado por: J. F. Guerrin. Vegetação representada de forma pictórica.

83. REYES, José Maria, 1803-1864. Carta Topográfica de ella [Republica Oriental del Uruguay]. [s.l.: s.n.], [1846?]. 1 mapa: litografado; 97 x 81 cm. Em f. 104 x 83 cm. ARC. 001,07,040

Abrange os atuais territórios do Uruguai e parte do Rio Grande do Sul. O mapa se insere no contexto dos conflitos entre a aliança brasileiro-entrerriense-colorada contra a blanco-portenha que ocorreu no final da primeira metade do século XIX. O autor do mapa, coronel José Maria Reyes, fora considerado por seus contemporâneos um grande geógrafo. Participou das comissões demarcadoras de
limites, entre Brasil e Uruguai, a partir de 1851, tendo trabalhado na polêmica demarcação de limites da região do Rincão de Artigas, onde foi cedida ao Brasil a denominada ilha Brasileira. Manuel Oribe fora eleito segundo presidente constitucional do Urugüai em 1835, deposto em 1838 pela revolução de Rivera. Em 1843, com apoio de Buenos Aires, promove um sítio à cidade de Montevidéu e
retorna à Presidência, onde é derrotado pela coligação brasileiro-entrerriense-colorada em 1851. Oribe foi também chefe do exército de vanguarda da confederação argentina em 1841. Acima do título: Al Exmo. Señor Brigadier Grãl. Don Manuel Oribe Presidente de la Republica Oriental del Uruguay. Inclui batimetria do rio da Prata. Contém bibliografia e notas. Destaca a hidrografia da região. Indica as linhas divisórias de seus antigos tratados. Cópia litografada pelo Arquivo Militar em 1852 localizada em: ARC. 007,03,019. Cópia litografada pelo Arquivo Militar em 1852 com variação de título localizada em: ARC. 007,03,016. Entelado.

84. SALVADOR COLON, H. Mapa del Pylcomayo. [1742]. 1 mapa ms. : desenho a tinta ferrogálica; 88,5 x 33,5cm. ARC. 023,02,004

Indica a cronologia da viagem de reconhecimento do Pylcomayo empreendida entre os meses de outubro e dezembro.Título retirado do verso.Possui selo da província jesuítica do Paraguai: D.O.C. p. Antonio Machoni. S.I. “Paraquariae provinciae provinciali MDCCXXXXII”.Contém rosa-dos-ventos com flor-de-lis. Duas partes enteladas em uma folha.

85. SEGUNDO plano de varios puertos del Estrecho de Magallanes, levantados el ano de 1786. [s.l.] : [s.n.], [1786?]. 1 mapa ; 48 x 69,5cm. em f. 52 x 72,5 cm. ARC. 007,04,023

Faz parte da obra “Relación del último viage al Estrecho de Magallanes de la fragata de S.M. Santa María de la Cabeza en los años de 1785 y 1786”, localizada em: AT.027,02,063 n.01. Os portos indicados se localizam no Chile. Meridiano de origem: Cadiz. Contém flor-de-lis. Inclui batimetria. Gravado por: Joaquin Pró. Conteúdo: Labirinto de Cordova e canal de Santa Bárbara, escala gráfica de 3 milhas [= 3,5cm]; Puerto Galan y Bahia de Fuerte Escudo, escala gráfica de 1/2 milha [= 4,5cm]; Bahia del Swallow ò Baronesa, escala gráfica de 1/3 milha [= 3cm] ; Roda de Vacario, escala gráfica de 1/2 milha [= 3cm] ; Bahia de Aristizabal, escala gráfica de 1/2 milha[= 4cm]; Bahia de Solano, escala gráfica de 400 varas [= 5cm]. Entelado.

86. [SERRA do Tandil e rios adjacentes]. [18—]. 1 mapa ms.: desenho a nanquim; 50,3 x 50,8 cm. ARC. 024,01,008

Abrange a região da Serra do Tandil na província de Buenos Aires. Indica rios da região. Relevo representado em forma pictórica. Três partes enteladas em uma folha.

87. SORIA, Pablo, 1763?-1851. Plano del rio Bermejo : desde sus cabezeras hasta su desague en el del Paraguay navegado y reconocido en 1826 por el ciud[a]no Pablo Soria miembro de una sociedad formada a este objeto, bajo el nombre de Compañhia del Bermejo, octubre 10.1831. Buenos Aires : Bacle y Cia. Impressores Litograficos del Estado, 1831. 1 mapa; 59 x 62,5 cm. ARC. 007,07,021

Piloto da expedição: Nicolas Descalzi. Na parte inferior está grafado com tinta ferrogálica: D. Pedro Angelis.Meridiano de origem: Paris.Relevo e vegetação representados em forma pictórica. Entelado.Truncado na parte inferior esquerda. Encarte: Salto de Ysó e Paso de Lurbe.

88. SPÍNOLA. Carta esférica de lo mas sur de la America Meridional, desde 44º30’ de latitud hasta el cabo Hornos : dispuesta bajo las mejores notícias, y algunas observaciones hechas en las Corvetas de S. M. Descubierta, y Atrevida. 1794. 1 carta hidrográfica ms: desenho a nanquim; 93,5 x 61cm em f. 97 x 63,5 cm. ARC. 023,12,005

Abrange da Bahía Camarones (Argentina) ao arquipélago de Chonos (Chile). Contém flor-de-lis. Meridiano de origem: Cadiz. Entelado.

89. VILLARINO, Basilio, 1741-1785. Describcion geografica dela costa oriental Patagonica : comprehendida entre 40°25’ y 43°10’ de lati sur, 311º15’ y 314º14’ de longitud de Thenerife y medios, sus puertos y entradas.... 1 mapa ms.: desenho a nanquim, aquarelado, col; 67,2 x 55,2 cm. ARC.009,13,016

Abrange a região do golfo de San Matias nas atuais províncias argentinas do Rio Negro e Chubut. Mostra a foz do rio Negro, a península Valdés, o golfo de San Jose e o golfo Nuevo. Indica caminhos. Relevo e vegetação representados em forma pictórica. Inclui rosa-dos-ventos com flor-de-lis e batimetria. Cartucho ornamentado. Entelado.

90. ZAMBECCARI, L., 1802-1862. Mappa do Rio Grande do Sul. [Rio de Janeiro]: Lith. de Vr. [Larée ?], [1840?]. 1 mapa; 50,5 x 64,5 cm. ARC. 003,09,005

O autor do mapa, Lívio Zambeccari, participou da Guerra dos Farrapos e combateu ao lado de Bento Gonçalves. Meridiano de origem: Greenwich. Gravado por: H. Leonhard. Coleção Benedito Ottoni, ex. 3. C.E.H.B. 3033. Carimbo: Princesa Real D. Leopoldina, ex. 1 e 2. Na parte inferior esquerda lê-se: ... J. R. Coelho, ex.1 e 2. DEA, ex.1. Entelados.

91. ZIZUR, Pablo, n.1743. Carta plana que comprehende la demarcacion del camino desde la Guardia de Lujan, hasta la laguna conocida baja el nombre de Salinas: tambien contiene todas las lagunas... 1786. 1 mapa ms.: desenho a nanquim; 48,0 x 71,5 cm em f. 52,5 x 75,0 cm. ARC.009,13,001

Trata da expedição à lagoa de Salinas comandada pelo oficial da Marinha Espanhola Pablo Zizur a mando do vice-rei de Buenos Aires, Marquez de Loreto. Abrange grande área da atual província de Buenos Aires. Indica a Serra da Ventana e o rio Salado. Contém rosa-dos-ventos. Contém assinatura do autor. Entelado. A cartografia possui mais dois mapas manuscritos da lagoa de Salinas com variação do
título em: arc. 009,13,009 e arc. 009,14,017. Provavelmente faz parte da obra: Diario de una expedición a Salinas....(www.cervantesvirtual.com).

92. ZIZUR, Pablo, n.1743. Carta que comprehende la demarcacion del camino desde la Guardia de Lujan, hasta la laguna de Salinas : tambien contiene todas las lagunas... 1786. 1 mapa ms.: desenho a tinta ferrogálica; 49 x 70cm em f. 57 x 78 cm. ARC.009,13,009

Trata da expedição à lagoa de Salinas comandada pelo oficial da Marinha Espanhola Pablo Zizur a mando do vice-rei de Buenos Aires, Marquez de Loreto. Abrange grande área da atual província de Buenos Aires.Mostra a serra da Ventana e o rio Salado. Escala gráfica de 10 léguas [= 6,5cm]. Contém rosa-dos-ventos. Assinatura do autor. Entelado. A cartografia possui mais dois mapas manuscritos da lagoa de Salinas com variação do título em: arc.009,13,001 e arc. 009,14,017. Provavelmente faz parte da obra: Diario de una expedición a Salinas....(www.cervantesvirtual.com).

93. ZIZUR, Pablo, n.1743. Plano Topografico de la Laguna conocida bajo el nombre de Salinas donde ban las Expediciones que salen de la Frontera de Buenos Ayres á el acópio de la Sal para el abasto de dicha Ciudad, y su Iurisdicion.... 1786. 1 mapa ms : desenho a nanquim; 55 x 81,5cm em f. 57,5 x 83cm. ARC. 009,14,017

Trata da expedição à lagoa de Salinas comandada pelo oficial da Marinha Espanhola Pablo Zizur a mando do vice-rei de Buenos Aires, Marquez de Loreto.Contém rosa-dos-ventos. Vegetação representada em forma pictórica. Assinatura do autor. Entelado. A cartografia possui mais dois mapas manuscritos da lagoa de Salinas com variação do título em: arc. 009,13,001 e arc. 009,13,009. Provavelmente faz parte da obra Diario de una expedición a Salinas....(www.cervantesvirtual.com).



BIBLIOGRAFIA

CARTA reducida del estrecho de Magallanes, fragata de S. M. Santa María de la Cabeza. Disponível em:

CATEDRAL Basílica. Disponível em:

COSTA, Maria de Fátima G. Cuiabá: rio, porto, cidade. Cuiabá: Secretaria Municipal
de Cultura, 2000.

______. História de um país inexistente: o Pantanal entre os séculos XVI e XVIII. São Paulo: Kosmos, 1999.

JESUÍTAS e bandeirantes no Guairá (1549 [i.é. 1594] – 1640). Introdução, notas e glossário por Jaime Cortesão. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, Divisão de Obras Raras e Publicações, 1951. (Manuscritos da Coleção De Angelis v.1)

LOBO, Eulália Maria L. Caminho de Chiquitos às missões 1690-1718. Revista de História: São Paulo, v.10, n.39-40, 1959; e v. 11, n. 41-41. 1960.

MEIRELES, Denise Maldi. Guardiães da Fronteira: rio Guaporé, século XVIII. Petrópolis: Vozes, 1989.

NUNES, José Maria de Souza. Real Forte Principe da Beira. Salvado: Fundação Emilio Odebrecht, 1985

POZO CANO, Raúl del. Cartografia del Chaco Paraguayo. [Asunción, Min. del R. Esteriores Y Culto, 1935?].

PUERTO San Julián. Disponível em: .

ROSENVAIG, Eduardo. Etnias y arboles: historia del universo ecológico Gran Chaco.La Habana: Bogotá, Casa de las Americas: Colcultura, 1997. ESPASA (Ed.) Enciclopedia Universal Ilustrada: europeo-americana. Barcelona, s.d. 70v.

TRATADO de Madri: antecedentes, Colônia do Sacramento (1669-1749). Introdução, notas, sumários por Jaime Cortesão. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, Divisão de Obras Raras e Publicações, 1954. (Manuscritos da Coleção De Angelis v.5).



* SUPERVISAO

Maria Cristina Leal Feitosa Coelho. Bibliotecária da Divisão de Cartografia da Biblioteca Nacional

* PESQUISA

Afrânio Duarte Barbosa Santiago, André Luiz Coutinho Gomes, Ciro Pettersen Marconi, Gabriel Arbex Belem da Rosa (Estagiários do Departamento de História da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ)