BNDigital

Artes | Le chirurgien nègre

03 abr 2021

Artigo arquivado em Arte
e marcado com as tags Biblioteca Nacional, Cenas do Cotidiano do Rio, Curandeiros, Jean Baptiste Debret, Medicina Popular, Memória da Saúde, Rio de Janeiro Século Dezenove, Secult

O álbum Voyage Pittoresque dans le Brésil apresenta desenhos de Jean Baptiste Debret, litografados e impressos em Paris por Firmin Didot Fréres, do Instituto de França. Está dividido em 3 tomos. O primeiro é de 1834 e nele estão representados indígenas e aspectos da vegetação brasileira nativa em geral. O segundo tomo, onde se encontra essa litografia, de 1835, concentra-se na representação de homens escravizados no seu trabalho urbano, outros trabalhadores e nas práticas agrícolas da época. Já o tomo terceiro, de 1839, trata de cenas do cotidiano e atividades culturais. A cada imagem, Debret associa uma descrição e um comentário.

Debret apresenta aí uma cena, com trabalho de litografia por Thierry Frères, em que cuidados terapêuticos acontecem em plena rua. O autor explica que esses curandeiros trabalhavam na porta de casa; a mulher recebia os pagamentos, pois as consultas eram gratuitas, mas sempre demandavam remédios manipulados e comercializados por eles. Ainda segundo Debret, enriqueciam suas prescrições com uma espécie de mágica e empregavam sua habilidade para se fazer respeitar por seus compatriotas.

Essa litografia está situada na parte superior da prancha na qual há também outra imagem mostrando o trabalho numa Boutique d’um marchand de vian de porc, com a carne sendo tratada e comercializada.

(Seção de Iconografia)

Boutique d'un marchand de viand de porc. litogravura, pb ; 25,1 x 20,5. In. Debret, Jean-Baptiste. Voyage pittoresque et historiqueauBrésil. Tome deuxième.