BNDigital

AO ENCONTRO DA COR

< Voltar para Dossiês

Apresentação

por Helena de Barros
Nos dias de hoje, em que estamos acostumados a perceber com naturalidade a grande oferta
de imagens multicoloridas, é difícil ter a dimensão do impacto e transformação que a introdução da cor impressa gerou na sociedade. A circulação de imagens coloridas potencializou a comunicação de conteúdos nas ciências, nas artes, na moda e em aplicações comerciais, que até então estavam restritos à imagens em preto e branco ou coloridas à mão.

Responsável pela popularização de imagens coloridas ao longo do séc. XIX, a cromolitografia foi uma técnica que alterou significativamente os padrões culturais, a circulação da informação e o consumo da época – no mundo e também no Brasil. Precedeu o desenvolvimento da quadricromia em litografia offset por processamento fotomecânico em meados do século XX, mais prático e econômico, ainda em uso na atualidade.

No início do século XIX, editores tinham introduzido recentemente o gênero de literatura infantil e jogos de tabuleiro foram o próximo passo natural, influenciados diretamente pela evolução das tecnologias de impressão. Os avanços na fabricação promovidos pela cromolitografia ajudaram artistas e impressores a criar jogos e brinquedos impressos que eram mais atraentes, duráveis e relativamente acessíveis para a classe média em expansão, implementando novas mídias de massa. (LIMAN, 2017.)

A localização, identificação e descrição técnica dos primeiros impressos coloridos de caráter lúdico brasileiros, visa consolidar os dados técnicos desses impressos e, deste modo, auxiliar pesquisas de diversas áreas (design, artes, letras, história, pedagogia, etc.) a conhecer e valorizar a qualidade técnica dos impressos históricos com que trabalham ou que podem vir a trabalhar.


Helena de Barros


Parceiros