BNDigital

Periódicos & Literatura

< Voltar para Dossiês

O Pensamento: literatura, sciencias, commercio, indústria

por Maria Ione Caser da Costa
A revista O Pensamento trouxe logo abaixo do título as palavras litteratura, sciencias, commercio, indústria, que são reconhecidas como subtítulo. Elas expressam a linha de conduta que seus editores pretendiam seguir.

O Pensamento foi publicado pela primeira vez no dia 1º de junho de 1901 em Pelotas, no Rio Grande do Sul, hoje considerada a quarta cidade mais populosa do estado.

Periódico semanal, teve como diretor e proprietário o senhor Salustiano Maciel, foi impresso pelas máquinas da Casa Maciel, com escritório localizado na rua General Ozorio, n. 141.

Com tiragem de dois mil exemplares, o exemplar avulso foi vendido por 400rs. Eram vendidas apenas assinaturas semestrais, que valiam 8$000 para a cidade e 10$000 para fora dela.

Com o título “Duas palavras” o editorial é assinado por Tito Villalobos e Dr. João Cavalcanti, e inicia com a primeira letra capitular:

Quando, impulsionados pela admirável coragem de Salustiano Maciel, nos resolvemos a fundar este despretensioso hebdomadario, sabíamos de sobra que sérias difficuldades nos esperavam.
Ignorados escriptores do jornalismo patrício, tímidos galuchos no batalhão sagrado da Imprensa, aceitamos o posto de honra, que nos foi confiado, dispostos a todos os sacrifícios pessoaes para bem occupal-o dignamente.
Firmes e inabalaveis na rude tarefa do cumprimento desse dever de alta energia moral, sem arrogância e sem humildade, aqui estamos a solicitar a benevolência do ilustrado povo do Estado.
Jornal litterario e ilustrado, sympathico a todas as causas progressistas, O Pensamento destina-se especialmente ao cultivo das letras, entre nós deploravelmente abandonadas. [..]
Destinado a consagrar todos os merecimentos, legitimamente adquiridos com a gloria nos vários campos da atividade humana, O Pensamento, pela penna de seus redactores desapaixonados, manterá no percurso de sua existência, breve ou longa, a linha de conducta, que acaba de traçar, cheio de serena tranquilidade.
Á mocidade intelligente e estudiosa, que almeija terçar a penna nas lides da publicidade, abrimos de par em par, as nossas portas, promettendo-lhe doce agasalho e conforto. [...]
Aos festejados e ilustres escriptores de nossa terra, que nos quiserem honrar com as suas producções, agradecemos effusivamente.
Aguardamos, confiados e imperturbáveis, os resultados desta nossa audaciosa tentativa.

O primeiro exemplar, único existente e consultado na Hemeroteca Digital, é o mencionado acima. O periódico utilizou a zincografia como técnica de ilustração. As encontradas nesse exemplar são um retrato de Pedro Luiz Osório (industrial de Pelotas), uma vista geral da Exposição Estadual (com o Pavilhão de Pelotas e Caxias do Sul) e uma cena humorística.

As ilustrações referentes a exposição são da Primeira Exposição de Produtos do Rio Grande do Sul, ou Exposição Agropecuária e Industrial também conhecida por Exposição Agroindustrial, promovida pela Secretaria de Obras Públicas e que aconteceu em fevereiro de 1901 em Porto Alegre. Cada expositor recebeu um diploma de participação. Hoje, no local está a Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Dentre os poemas publicados nas páginas de O Pensamento, destacamos um soneto de M. Octaviano Meirelles, que tem como título “A. A. L.”


A.A.L.

Não há, no mundo todo, amor tão puro,
nem que de leve ao nosso amor se iguale;
embora o mundo, brame, gema e falle,
romper não póde um laço tão seguro.

Inutilmente busco, em vão procuro
quem tão doce perfume d’alma exhale,
as vozes da razão embora cale,
não desvaneço, não, - no amor perduro.

É que a tua bondade sem limite
não há um ser que a iguale ou mesmo imite,
rainha da minh’alma, ó bella flôr,

Junto a ti minha vida é só bonança,
tu és a luz brilhante da Esperança,
emblema fidelíssimo do Amor.

Parceiros